Foto: Itamar Aguiar

Era de certa forma esperado, inclusive pelo técnico Renato Gaúcho. O zagueiro Walter Kannemann está mesmo fora da final da Libertadores. A Conmebol negou o pedido de anulação do cartão amarelo recebido no primeiro jogo da decisão, contra o Lanús, na Arena. A informação foi confirmada pelo Grêmio no início da tarde desta segunda-feira. Assim, Bressan deve mesmo ser o escolhido para atuar ao lado de Pedro Geromel – ele foi preservado do jogo com o Atlético-GO, neste domingo.

A possibilidade de contar com Kannemann na final era remota, mas o departamento jurídico gremista mesmo assim protocolou o pedido. No entanto, já antes da resposta, o diretor jurídico Nestor Hein admitia que seria muito difícil a reversão nos tribunais. O que acabou confirmado nesta segunda-feira por Hein. Os advogados contratados pelo Grêmio em Assunção, no Paraguai, repassaram a informação para Porto Alegre.

Kannemann levou um cartão amarelo em lance dentro da área com Guerreño no primeiro jogo, vencido pelo Tricolor por 1 a 0. No entendimento do Grêmio, injustamente, já que foi empurrado pelo argentino e acabou no chão. Mas a Conmebol não interpretou da mesma maneira e manteve a decisão do árbitro Julio Bascuñán. O clube ainda manifestou seu descontentamento com a arbitragem em uma reunião com o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, na sede da entidade na última sexta-feira.



Veja também