Conheça possíveis adversários do Grêmio nas oitavas de final da Libertadores

Conmebol sorteia no dia 14 os confrontos do tricolor na competição

10 de junho de 2017 - Às 10:38
Foto: Lucas Uebel

O torcedor gremista terá de esperar até a próxima quarta-feira, dia 14, para conhecer o adversário do Tricolor nas oitavas de final da Libertadores da América. Nessa data, ocorre o sorteio dos confrontos na sede da Conmebol, no Paraguai. O Grêmio estará no pote 1, ao lado de Atlético-MG, Lanús (ARG), River Plate (ARG), Palmeiras, Santos, Botafogo e San Lorenzo (ARG). Os possíveis adversários estão no pote 2, que tem Godoy Cruz (ARG), Guaraní (PAR), Emelec (EQU), Barcelona de Guayaquil (EQU), Atlético-PR, The Strongest (BOL), Jorge Wilstermann (BOL) e Nacional (URU).

A Conmebol alterou a fórmula de disputa para esse ano. A única certeza é que o Tricolor, por ter encerrado a fase de grupos na liderança do Grupo 8, decidirá a classificação às quartas de final na Arena. No sorteio que acontece em Luque, a entidade definirá os confrontos até a final. Ou seja, o Grêmio já ficará sabendo quem pode enfrentar até uma possível decisão de título. Ao contrário dos anos anteriores, nesta edição o primeiro colocado geral na fase de grupos não joga com o 16º, e assim por diante.

O Tricolor pode até decidir todos os mata-matas em casa, desde que não cruze por Atlético Mineiro e Lanús, já que essas equipes foram primeira e segunda, respectivamente, na classificação geral. Outra mudança importante adotada pela Conmebol em 2017 é que duas equipes do mesmo país poderão fazer a final. Nas edições mais recentes, a entidade tornava obrigatório o enfrentamento de dois clubes do mesmo país caso ambos estivessem nas semifinais em lados opostos.

Na busca pelo tricampeonato da América, o Grêmio terá de quebrar um tabu. Desde 2009, quando perdeu para o Cruzeiro na semifinal, o clube não consegue ir além das oitavas de final. Em 2011, o Tricolor foi eliminado pela Universidad Católica, do Chile, Naquela oportunidade, Renato Portaluppi era o treinador. Dois anos depois, nova eliminação nas oitavas de final, dessa vez para o Santa Fe, da Colômbia. No ano seguinte, foi a vez do San Lorenzo despachar o Grêmio.

No ano passado, a equipe treinada por Roger Machado parou no Rosario Central, da Argentina. Ou seja, em suas últimas quatro participações, o Grêmio parou nas oitavas. Em 2014, chegou a fazer a melhor campanha da fase de grupos. Acabou cruzando com o San Lorenzo, que foi o pior classificado, e perdeu nos pênaltis. Os argentinos foram campeões naquele ano. As partidas de ida das oitavas de final estão marcadas para os dias 4, 5 e 6 de julho. E os jogos de volta ocorrem em 8, 9 e 10 de agosto.

Foto: Raúl Arboleda/AFP

Veja abaixo resumo dos possíveis adversários

Godoy Cruz foi o segundo colocado do Grupo 6, atrás do Atlético Mineiro. Apesar de ser um time de pouca expressão no cenário sul-americano, é considerado perigoso pelo simples fato de ser argentino. Em seis jogos na fase de grupos da Libertadores, venceu três, empatou dois e perdeu um. O destaque da equipe é o atacante equatoriano Jaime Ayoví.

Guaraní integrou a própria chave do Grêmio na fase de grupos. Não tem a mesma força de anos anteriores, quando chegou a eliminar o Corinthians nas oitavas, em 2015. Na fase de grupos, empatou uma e perdeu outra para o Tricolor. Um fato positivo de enfrentar os paraguaios é que trata-se de um time de pouca torcida, que dificlmente lota os estádio.

Emelec apesar de nunca ter vencido, está sempre disputando a Libertadores e costuma ser forte jogando no reformado e ampliado estádio George Capwell. É um velho conhecido do Grêmio. Em 1995, ambos se enfrentaram na fase de grupos e, posteriormente, na semifinal. Naquela oportunidade, o Grêmio avançou à final e levantou a taça.

Barcelona de Guayaquil persegue seu primeiro título na Libertadores após dois vices em 1990 e 1998. A equipe equatoriana tem experiência na competição, que está disputando pela 24ª vez. É o clube mais popular e de maior torcida no Equador. O Estádio Monumental Banco Pichincha, com capacidade para 55 mil torcedores, é um trunfo do time.

Atlético Paranaense o adversário gremista nas quartas de final da Copa do Brasil e também pode enfrentar o Tricolor na Libertadores. A vantagem de pegar a equipe seria a curta distância entre Porto Alegre e Curitiba. Além disso, a comissão técnica gremista conhece bem o rubro-negro. Na fase de grupos, deixou para trás um dos favoritos, o Flamengo.

The Strongest o principal problema em encarar o time boliviano é ter de jogar na altitude de mais de 3.600 metros de La Paz. O time costuma complicar muito a vida dos adversários na capital do país e tem o artilheiro da Copa Libertadores até aqui, o volante Chumacero, com oito gols. Outro jogador perigoso é o veterano meia Pablo Escobar.

Jorge Wilstermann é a grande surpresa desta edição da Libertadores. Em um grupo que tinha Palmeiras e Peñarol como principais candidatos, o tme surpreendeu e terminou em segundo. Conta com o zagueiro Alex Silva, com passagens por vários clubes brasileiros. O meia Thomaz Santos, de grande atuação diante do Palmeiras, foi negociado com o São Paulo.

Nacional está entre os possíveis adversários, o time é o de maior tradição. Venceu a Libertadores três vezes e mesmo que não viva um bom momento, com dificuldades financeiras, tem uma camisa muito forte. Foi o pior time entre os classificados na primeira fase, com duas vitórias, duas derrotas e dois empates. Um ponto positivo seria a distância até o Uruguai.



Veja também