Lucas Uebel / Grêmio, Divulgação

A estreia de Diego Tardelli pelo Grêmio ocorrerá na Arena, em meio ao calor de sua nova torcida. Treinando no CT Luiz Carvalho há 10 dias, o atacante de 33 anos, que começou a trabalhar com bola junto aos colegas na quinta-feira, ficará de fora da viagem para a Argentina, onde a equipe estreará na Libertadores contra o Rosario Central em 6 de março. O principal reforço para 2019 deverá vestir a camisa 9 tricolor pela primeira vez no dia 9, um sábado à noite, pela 9ª rodada do Gauchão, contra o São José, na Arena.

Desde que desembarcou na Capital, em 13 de fevereiro, com recepção de 500 torcedores no aeroporto Salgado Filho, Tardelli está morando em um hotel no bairro Moinhos de Vento, local que também serve de concentração para a equipe de Renato Portaluppi. A família ainda segue em Itapema, no litoral catarinense, onde o atacante mantém residência. No entanto, o plano do jogador é trazer em breve sua esposa Linda Vanessa e os filhos Pietra e Dieguinho para perto de si. Por isso, tem o auxílio de seu cunhado na tarefa de procurar uma casa em Porto Alegre.

Enquanto isso, Tardelli trata de colocar a parte física em dia no CT Luiz Carvalho. A impressão inicial dos fisiologistas, médicos e preparadores foi a melhor possível. Mesmo sem jogar por 75 dias, desde 30 de novembro, quando marcou um dos gols do Shandong Luneng no empate em 2 a 2 contra o Beijing Guoan pela Copa da China, o atacante se apresentou ao Grêmio em boas condições na semana passada.

— Trata-se de um jogador sem histórico de lesões graves — salientou o médico Paulo Rabaldo. — Ele está fazendo uma verdadeira pré-temporada para ter plenas condições de suportar a exigência física que terá ao longo do ano — completou.

Em sua apresentação, Tardelli disse que precisaria de duas a três semanas para recuperar sua condição ideal. Mesmo que tenha feito exercícios em Itapema durante as férias, as atividades não tinham a mesma intensidade da programação que ele está seguindo no clube. Mas um fator, apontado pelo próprio atacante, será benéfico em sua readaptação ao futebol brasileiro.

— O meu porte ajuda. Como sou magrinho, fica mas fácil de readquirir a forma física — destacou Tardelli em sua apresentação.

O cuidado do atacante com o corpo é elogiado por fontes ligadas à comissão técnica. Com dedicação, o jogador tem cumprido intenso circuito físico. Nos primeiros dias, Tardelli realizou trabalhos gerais de adaptação e de recondicionamento. Entre suas tarefas, estavam exercícios de resistência muscular, de força, além de atividades aeróbias e intermitentes.
O jogador também segue uma rotina de prevenção diária para reforçar sua musculatura e evitar lesões. Nesta quinta, enfim, ele se reencontrou com a bola.

— Estamos avaliando dia a dia a evolução física e técnica dele — explicou o diretor de futebol Deco Nascimento.

A amigos, Tardelli confidenciou que deve ser aproveitado por Renato na função de meia pela direita, brigando pela titularidade com Marinho e Montoya. Foi nesta posição em que ele teve um dos seus melhores momentos na carreira, atuando pelo Atlético-MG, em 2013, quando conquistou a América atuando ao lado de Ronaldinho, Bernard e Jô.

Agora, seus companheiros no quarteto de ataque gremista devem ser Luan, Everton e Felipe Vizeu. Esta parceria, contudo, só deve ser vista em campo dia 12 de março, na segunda rodada da fase de grupos da Libertadores, quando o time de Renato receberá Libertad-PAR ou Atlético Nacional-COL na Arena. Até porque, contra o São José, o treinador deverá poupar os titulares.

Quatro dias após encarar paraguaios ou colombianos, Tardelli disputará seu primeiro Gre-Nal com a camisa tricolor, também em casa.

— Esses jogos me motivam, são neles que os grandes jogadores aparecem — disse o atacante sobre a expectativa de atuar em seu primeiro clássico pelo Grêmio.



Veja também