Comissão exige assinatura de conselheiros em pedido de impeachment de direção do Grêmio

Caso movimento não consiga apoio em 10 dias, pedido será arquivado

29 de dezembro de 2021 - Às 08:26

A Comissão de Ética e Disciplina do Conselho Deliberativo do Grêmio deu parecer contrário à abertura de processo de impeachment da diretoria do clube. O entendimento foi que o pedido feito por sócios precisa da assinatura de pelo menos 40 conselheiros para tramitar.

O Movimento Grêmio de Todos, que ingressou com o pedido no Conselho Deliberativo, agora tem prazo de 10 dias para responder a essa solicitação. Caso não consiga as assinaturas, o pedido será arquivado pela comissão. A decisão foi comunicada nesta segunda-feira.

Decisão de comissão do Conselho do Grêmio sobre pedido de impeachment — Foto: Arquivo pessoal

Os associados gremistas contam com cerca de 600 assinaturas em uma petição e pedem o impeachment do presidente Romildo Bolzan Júnior e seus seis vice-presidentes por conta de “omissões” que acarretaram em prejuízo ao Grêmio, no caso o rebaixamento à Série B.

A primeira intenção é que os sócios façam pressão aos conselheiros para que assinem o pedido. Os representantes do movimento irão se reunir nos próximos dias para debater os próximos passos, até porque discordam da decisão e citam o Código Civil para justificar o entendimento que os sócios têm legitimidade para entrar com o pedido de impeachment, independente do apoio de conselheiros.



Veja também