MARLON COSTA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O Grêmio empatou por 1 a 1 com o Sport na noite deste sábado (19), na Ilha do Retiro, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em jogo em que não atuou bem, o Tricolor saiu atrás aos 9 minutos com gol de Dalberto, mas teve disposição para buscar o empate na etapa final em pênalti convertido por Pepê — quando tinha apenas 10 homens em razão da expulsão de Kannemann.

Com o resultado, o Grêmio subiu para 42 pontos e entrou momentaneamente no G-4. O Tricolor, no entanto, perderá o quarto lugar porque Palmeiras (5º) e Inter (6º) se enfrentam no Beira-Rio no final da noite. Pelo menos um deles – os dois se for empate – ultrapassará a equipe de Renato Portaluppi.

Mesmo tendo o jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil contra o São Paulo na próxima quarta-feira, o técnico Renato Portaluppi optou por escalar a maior parte dos titulares diante do Sport. Até mesmo Victor Ferraz, único lateral-direito à disposição depois da lesão de Orejuela, iniciou a partida na Ilha do Retiro. Dos titulares absolutos do time, apenas Geromel e Diego Souza foram preservados, ficando no banco de reservas.

A partida iniciou com o cenário esperado. O Grêmio dentro de sua proposta de ter a posse da bola e ocupar o campo de ataque para tentar chegar ao gol. Do outro lado, Jair Ventura montou o Sport para reagir ao jogo gremista, com marcação com linhas próximas de sua área apostando em ter o contra-ataque como arma para ameaçar Vanderlei.

A ideia dos mandantes deu resultado logo aos nove minutos. Em um lance que lembrou o segundo gol do Santos, marcado por Marinho, na última quarta-feira, o Tricolor não conseguiu se movimentar de maneira correta para conter um contra-ataque. O argentino Lucas Mugni arrancou ainda do campo de defesa, tabelou com Patric e tocou na medida para Dalberto na área gaúcha. O ex-atacante do Juventude só precisou dar um toque na bola para vencer Vanderlei e abrir o placar.

O Grêmio até teve uma boa chance após o gol em belo passe de Jean Pyerre para Cortez, que ganhou a dividida com Iago Maidana, mas Júnior Tavares apareceu quase em cima da linha para evitar o gol. O lance, porém, foi uma rara boa jogada gremista ao longo do primeiro tempo.

O Tricolor teve muita posse, mas pouca capacidade de infiltração. Assim, a equipe abusou dos cruzamentos. Foram 24 no primeiro tempo, 20 deles errados. Em um dos poucos acertos, Cortez acionou Churín, que cabeceou por cima do gol do Luan Polli. Foi a única finalização do centroavante argentino na primeira etapa. Com tão pouca criação, o Grêmio foi para o intervalo em desvantagem.

A etapa final começou mal para o Grêmio. Aos 2 minutos, o Sport quase fez o segundo gol. Em escanteio batido por Thiago Neves, Maidana desviou no primeiro pau e por pouco Mugni não empurrou para o gol vazio.

Logo depois, aos 7, o time gaúcho ficou com dez homens. Kannemann, que já tinha amarelo, fez falta em Marcão para parar um contra-ataque e acabou expulso.

Renato então mandou Geromel a campo no lugar de Lucas Silva para recompor a zaga. Na mesma troca, Luiz Fernando entrou na vaga de Ferreira. Logo depois, o treinador sacou Jean Pyerre para a entrada de Thaciano.

O Grêmio seguiu com dificuldade para criar jogadas, mas chegou ao empate pela disposição de Churín. O argentino disputou uma bola na área e acabou levando um chute de Marcão. Após rever o lance no VAR, o árbitro José Mendonça da Silva Júnior marcou pênalti. Pepê cobrou com tranquilidade e igualou o placar aos 27.

Com o empate, Renato fez uma mudança que causou estranheza. Mesmo diante de um adversário que briga contra o rebaixamento, ele optou por segurar o resultado e tirou o centroavante Churín para a entrada do volante Darlan aos 32. No Sport, Jair Ventura fez movimento contrário com o atacante Mikael no lugar do volante Marcão. Mas o placar não foi mexido e ficou mesmo no 1 a 1.



Veja também