Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação

Diante do América-MG, o técnico Felipão colocou em prática um sistema defensivo que lhe agrada: o 3-5-2. Paulo Miranda, Ruan e Rodrigues formaram o trio de zagueiros que começaram o jogo. A estratégia se deu pela avaliação do adversário e pela ausência da dupla de zaga titular.

A boa notícia para o jogo diante do Vitória, na terça-feira (27), em Salvador, pela Copa do Brasil, é a volta de Kannemann. O argentino cumpriu suspensão diante do América-MG e volta a ficar à disposição. Com dores no quadril, Geromel não enfrentou os mineiros e segue como dúvida.

Com o reforço de Kannemann, Felipão pode desfazer o esquema com três zagueiros diante dos baianos. Segundo o técnico, a manutenção de um trio na zaga depende de uma análise da postura do adversário.

— Eu vou manter na medida em que o adversário tenha dois atacantes em cima dos meus zagueiros. Se tivermos três zagueiros para um atacante só, vamos perder em outros setores. Aí vamos voltar ao 4-2-3-1 ou o 4-1-4-1, que são trabalhados no dia a dia. Mas uma equipe como a do América-MG, que tinha dois atacantes, nós vamos trabalhar bastante com três zagueiros. Em algumas oportunidades, se tivemos com a situação definida de resultado, e o adversário colocar dois atacantes, vamos partir para os três zagueiros. Nós sempre vamos analisar o adversário para colocar o time ideal em campo — ressaltou.

Felipão define o time do Grêmio no treino desta segunda-feira (26), pela manhã. À tarde, a delegação embarca para Salvador para enfrentar o Vitória, pela Copa do Brasil.



Veja também