Foto: Tomás Hammes/GloboEsporte.com

Não é só a péssima impressão deixada após ser eliminado da Libertadores com a goleada por 5 a 0 para o Flamengo. Renato Gaúcho também tenta colocar fim a uma incômoda marca neste domingo contra o Botafogo na Arena, em jogo marcado para às 16h, pela 28ª rodada do Brasileirão. O treinador vive sua maior sequência de derrotas pelo Grêmio, em momento de turbulência e cobranças.

O fracasso no Maracanã, além de ser a maior derrota de Renato à frente do Tricolor, o fez alcançar a terceira derrota consecutiva. Antes, tinha sido superado por 1 a 0 para o Bahia e 2 a 1 para o Fortaleza, ambos pelo Brasileirão.

O momento de instabilidade, agravado pelo tombo em solo carioca ligou o alerta. Além disso, o grupo começou a passar por cobranças da torcida. Na manhã de sábado, um grupo com faixas realizou protesto em frente ao portão de entrada do Centro de Treinamentos Presidente Luiz Carvalho.

Cerca de 15 torcedores participaram do protesto. Nas faixas, o grupo pediu a saída de atletas como André, Galhardo e Paulo Victor, além da renovação do elenco. Além disso, ainda trataram o Gre-Nal como “obrigação”.

Na sexta, Renato teve uma conversa com a direção tricolor, no qual foi cobrado pelos superiores pelos erros da equipe. Depois permaneceu uma hora e meia com os pupilos e, antes de comandar o treino de sexta, passou mais 10 minutos a sós com Maicon.

Sempre conversamos. Somos humanos, temos responsabilidades e há hierarquia. Converso bastante com o presidente, a diretoria. Ganhando, perdendo ou empatando. Não podemos fazer reuniões só quando ganhamos ou perdemos um título. Sempre há o que corrigir. Não é normal perder de cinco. Foi a maior goleada desde que estou aqui. Infelizmente ocorreu. Foram mais erros nossos do que méritos do adversário – diz Renato.

“Somos humanos, temos responsabilidades e há hierarquia. Converso bastante com o presidente, a diretoria. Ganhando, perdendo ou empatando. Não podemos fazer reuniões só quando ganhamos ou perdemos um título. Sempre há o que corrigir”. (Renato)

Renato já teve sequências piores

Em termos de partidas sem vencer, o ídolo tricolor já passou por secas piores. Em duas oportunidades, 2013 e 2016, chegou ficar sete partidas longe das vitórias, em jogos de Brasileirão e Copa do Brasil misturados. Algo que nem pode cogitar caso queira alcançar o G-4 ainda no Brasileirão para entrar direto na fase de grupos da Libertadores do ano que vem.

As piores sequências de Renato

2013Torneio2016Torneio2019Torneio
Inter 2 x 2 GrêmioBrasileirãoSantos 1 x 1 GrêmioBrasileirãoGrêmio 0x1 BahiaBrasileirão
Grêmio 0(3) x (2)0 CorinthiansCopa do BrasilPalmeiras 1 x 1 GrêmioCopa do BrasilFortaleza 2×1 GrêmioBrasileirão
Coritiba 4 x 0 GrêmioBrasileirãoGrêmio 0 x 0 InterBrasileirãoFlamengo 5×0 GrêmioLibertadores
Athletico 1 x 0 GrêmioCopa do BrasilFigueirense 0 x 0 GrêmioBrasileirão
Grêmio 0 x 0 BahiaBrasileirãoGrêmio 0 x 0 CruzeiroCopa do Brasil
Grêmio 0 x 0 AthleticoCopa do BrasilGrêmio 0 x 3 SportBrasileirão
Cruzeiro 3 x 0 GrêmioBrasileirãoSão Paulo 1 x 1 GrêmioBrasileirão

Mesmo assim, Renato não corre risco de demissão. Já após a partida o vice de futebol Duda Kroeff tinha bancado sua permanência, algo referendado pelo presidente Romildo Bolzan. Já, inclusive, há conversas sobre a renovação do contrato, que encerra no final do ano. Mas o técnico não pretende acertar o futuro neste momento.

Mesmo com este quadro, Renato sabe que não pode adiar a retomada das vitórias. Para o jogo, o técnico terá quatro baixas: Rafael Galhardo e André cumprirão suspensão, Luan está com uma fissura no pé direito e Jean Pyerre se recupera de uma lesão muscular na coxa direita.

Atualmente, o Grêmio está em sétimo com 41 pontos, um atrás do Inter, último clube que estaria no torneio, mas cinco do São Paulo, que fecha o grupo dos quatro melhores do nacional. A posição, aliás, é a que também ocupa no returno. Nesta parte do campeonato soma 13 dos 24 pontos disputados.



Veja também