Foto: Diego Avila

No reencontro com o Santos depois da eliminação na Libertadores, o Grêmio vencia o Peixe por 3 a 2 até os acréscimos, quando o árbitro Wilton Pereira Sampaio marcou um pênalti de Luiz Fernando com auxílio do VAR e o ex-gremista Madson deixou tudo igual na Arena. O placar de 3 a 3 leva ao Tricolor ao 17º empate no Brasileirão — um recorde no campeonato.

O Tricolor volta a campo na segunda-feira, às 20h, quando irá enfrentar o lanterna Botafogo, no Nilton Santos, no Rio de Janeiro. Diego Souza, que levou o terceiro cartão amarelo, está fora da partida.

Depois de ter enfrentado o Coritiba com apenas Jean Pyerre e Alisson dos considerados titulares, o Grêmio contou quase com forma máxima para receber o Santos na Arena — a exceção, claro, de Geromel, que está fora do restante da temporada por uma lesão no tornozelo esquerdo. No lado paulista, Cuca teve de lidar com uma série de problemas. Os maiores desfalques foram os dois principais jogadores do Peixe, os atacantes Marinho e Soteldo, lesionados.

Precisando se recuperar da sequência de seis jogos sem vitória no Brasileirão, o Grêmio iniciou atacando. Logo no primeiro minuto, Pepê tabelou com Diego Souza e invadiu a área. A bola sobrou para Diogo Barbosa, que bateu por cima do gol de John. Na sequência, Diogo Barbosa voltou a aparecer. Ele bateu falta e Alisson cabeceou para fora.

O bom começo gremista logo foi esfriado. Aos 7, o zagueiro Luan Peres arrancou como se fora um ponta, deixou Rodrigues para trás e cruzou para o meio da área, onde Kaio Jorge, livre, mandou para o gol vazio para abrir o placar na Arena. Os jogadores gremistas reclamaram de falta de Luan Peres em Rodrigues, mas o gol foi confirmado por Wilton Pereira Sampaio após checagem do VAR.

O Grêmio sentiu o gol sofrido e demorou para voltar a criar perigo. Aos 24, Lucas Silva até tentou de média distância, mas mandou longe. Com Jean Pyerre jogando mais próximo de Diego Souza e sendo acompanhado por Alison, os volantes gremistas precisavam virar os criadores da equipe.

Aos 33, Matheus Henrique fez esse papel e carregou a bola deixando Sandry para trás. Ele passou para Jean Pyerre, que encontrou Pepê na área. O atacante deu um toque na bola e foi derrubado pelo goleiro John: pênalti. Após três minutos de reclamações do Santos, Diego Souza bateu com categoria para deslocar o goleiro e igualar o placar: 1 a 1.

O gol devolveu ânimo ao Grêmio, que quase virou em lance que Diego Souza deu um lindo passe para Victor Ferraz. Frente a frente com John, o lateral optou pelo passe para Alisson e Sandry conseguiu dar um toque para impedir a finalização do atacante tricolor. Ainda deu tempo do Peixe assustar antes do intervalo. Aos 44, Arthur Gomes se antecipou a Rodrigues e cabeceou para defesa de Vanderlei.

A volta para o segundo tempo do Grêmio se deu em grande estilo. Com apenas 40 segundos, o Tricolor construiu uma jogada que lembrou os melhores tempos da equipe sob o comando de Renato Portaluppi. Em um lance que iniciou na defesa e teve uma rápida troca de passes entre Victor Ferraz, Lucas Silva e Pepê próximo da área santista, a bola chegou a Jean Pyerre, que finalizou sem chances para John para virar o placar na Arena.

A proposta de Cuca de marcar no seu campo e tentar atacar aproveitando os espaços deixados pelo Grêmio ficou comprometida com a virada cedo. A partir de então, o Grêmio passou a dominar o jogo e não demorou para chegar ao terceiro gol em mais uma bela troca de passes. Dessa vez, Lucas Silva recebeu de Matheus Henrique e serviu Pepê. O atacante finalizou no canto, sem chance para John: 3 a 1.

Depois do começo de segundo tempo avassalador, o Grêmio diminuiu o ritmo e permitiu ao Santos ocupar o seu campo. O recuo perigoso resultou em castigo para o Tricolor. Em um lance despretensioso Sandry cabeceou, a bola bate no braço de Matheus Henrique e o árbitro marcou o pênalti. Arthur Gomes cobrou e diminuiu aos 21 minutos.

O gol santista deixou o jogo novamente tenso. Renato Portaluppi então mexeu no time para tentar controlar mais o meio-campo. Maicon e Thaciano entram nos lugares de Jean Pyerre e Lucas Silva, respectivamente. Luiz Fernando e Ferreira foram opções para ter velocidade no contra-ataque nas vagas de Alisson e Diego Souza. Nos minutos finais, David Braz ainda entrou na vaga de Victor Ferraz para aumentar a força aérea tricolor para manter o resultado. Mas nada disso funcionou.

Aos 46, após um escanteio na área, um desvio no braço de Luiz Fernando foi visto pelo VAR, que chamou Wilton Pereira Sampaio para a revisão. No vídeo, o árbitro marcou pênalti. Madson cobrou e empatou a partida.



Veja também