Com garotos e poucas mudanças, Grêmio dá primeiro passo em temporada de reconstrução

Grupo de transição vai iniciar Gauchão enquanto o grupo principal conclui pré-temporada com base mantida após o rebaixamento

Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Após o rebaixamento à Série B, o Grêmio dá o primeiro passo de sua construção contra o Caxias, às 19h desta quarta, na estreia pelo Campeonato Gaúcho. Enquanto o grupo principal conclui a pré-temporada, caberá aos garotos do time de transição dar o pontapé inicial em um ano que o torcedor gremista espera que tudo seja diferente, embora pouca coisa tenha mudado.

Diferente do que habitualmente acontece com grande clubes que caem para a segunda divisão, o Grêmio que inicia 2022 aposta na continuidade. No comando do futebol, o presidente Romildo Bolzan Júnior manteve o vice Dênis Abrahão, que chegou no clube em outubro de 2021 para tirar a equipe da zona de rebaixamento, mas sem sucesso.

Junto com o dirigente, o técnico Vagner Mancini assumiu o Tricolor após Felipão ser desligado do clube. Mesmo com a queda para a Série B, o comandante também permaneceu para 2022, já que no entendimento da diretoria o trabalho do treinador foi positivo.

No campo, a filosofia é a mesma. Apesar de ter liberado alguns jogadores, negociado outros e anunciado cinco contratações para o estadual – outras devem vir para a disputa da Série B –, a base do time que terminou o Campeonato Brasileiro segue a mesma.

Além dos sete jogadores que já haviam sido afastados no final de novembro do ano passado, o Tricolor se desfez de outros oito atletas: Vanderson, Rafinha, Bruno Cortez, Borja, Alisson, Darlan, Ruan e Douglas Costa, que ainda não teve a rescisão oficializada, mas está próximo de acerto com LA Galaxy.

Em contrapartida, são cinco novas caras que o torcedor poderá assistir quando o time de Mancini estrear no Gauchão: Janderson, Bruno Alves, Orejuela, Nicolas e Benítez. Em uma projeção de time titular, devem ser apenas três mudanças na base da equipe no ano passado, com as entradas de Orejuela, Bruno Alves e talvez Janderson.

– Não é porque caiu que necessariamente tenha que fazer uma limpa geral. Todos nós que permanecemos é porque temos muito a oferecer sim. Todos com muita gana, muita vontade de jogar muito esse ano para que a gente possa ter essa oportunidade. Já que a gente participou de um momento ruim, a gente conseguir dar essa volta por cima – disse Diego Souza na semana passada.

Para os garotos que iniciam o Gauchão, será uma chance de mostrar trabalho e, quem sabe, mudar um pouco esse panorama. Vagner Mancini vai observar os primeiros jogos em busca de jogadores que possam suprir carências no elenco principal. Há espaço, por exemplo, para zagueiros, mas também para apostas em outros nomes em afirmação.

O time de transição é comandado pelo técnico Cesar Lopes, que levou a categoria ao título do Brasileirão de Aspirantes na última temporada. Além daqueles que já faziam parte da equipe, alguns jogadores que retornaram de empréstimo ou buscam uma segunda chance integram o grupo, casos de Rildo, Felipe Albuquerque, Guilherme Guedes, Guilherme Azevedo e Elias.

– Às vezes, trabalhamos 15 anos para uma oportunidade. Esse é o papel do profissional. Estar preparado. São dias e dias de treinos, trabalho duro. Atletas que abdicam da vida pessoal para estar aqui buscando essa oportunidade. É a grande oportunidade deles de mostrar seu potencial – diz Cesar Lopes.

O confronto contra o Caxias começa às 19h, na Arena, em Porto Alegre. A equipe de Cesar Lopes entrará em campo também contra o Brasil de Pelotas, no próximo sábado, no Bento Freitas. A previsão de estreia do elenco profissional é na terceira rodada, contra o São José, no dia 2 de fevereiro.



Veja também