A três jogos do fim, o Grêmio não tem mais o que fazer no Campeonato Brasileiro. Prestes a iniciar a decisão da Libertadores diante do Lanús e com vaga no G-4 da competição nacional assegurada, o Tricolor enfrenta o Santos, às 19h deste domingo, pela 36ª rodada, na Vila Belmiro, para observar jovens com vistas a 2018 e, fundamentalmente, cumprir tabela.

A vida dos gaúchos foi facilitada no encerramento da 35ª rodada, com as derrotas de Santos e Botafogo. Como o Cruzeiro, quinto colocado, também tem presença certa na fase de grupos da Libertadores do ano que vem por ter conquistado a Copa do Brasil, o alvinegro carioca, em sexto, poderia manter a chance de ainda passar o Grêmio na tabela. Mas o Bota estacionou nos 51 pontos e só pode chegar aos 60. O Tricolor possui 61 e é vice-líder.

Jovem Dionathã deve ganhar nova chance no ataque do Grêmio (Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação)

A atenção à reta final do Brasileirão é tão mínima que sequer Renato Gaúcho viajou ao litoral paulista para comandar a equipe. Nem mesmo o auxiliar Alexandre Mendes, principal substituto de Portaluppi, foi escalado para integrar a delegação. O técnico do time de transição César Bueno será o encarregado da casamata tricolor na Vila.

– Vão ficar uns 14, 15 jogadores. Estão com ritmo de jogo e seria um risco muito grande colocá-los para jogar contra o Santos. Não têm necessidade de jogar. Vão ficar conosco aqui (em Porto Alegre) – adiantou Renato em entrevista coletiva na sexta-feira.

Portaluppi se referia ao time titular, que trabalhou na manhã de sábado e fará o mesmo neste domingo, no CT Luiz Carvalho, na capital gaúcha. A ordem é poupar os principais jogadores para o primeiro jogo da final da Libertadores, na quarta-feira, na Arena, diante do Lanús. Inclusive reservas imediatos como Michel, Léo Moura e Everton foram preservados.

Cesar Bueno irá comandar o Grêmio em Santos (Foto: Rodrigo Fatturi/Grêmio/Divulgação)

Por outro lado, jovens da base que já ganharam chances na equipe principal ao longo do ano – e até caras novas – passam a ter protagonismo. Contra o Peixe, o Grêmio deve ter: Bruno Grassi; Leonardo, Bressan, Rafael Thyere e Conrado; Machado, Cristian, Kaio, Patrick e Dionathã; Jael. Chama mais atenção, porém, as presenças no banco, como os laterais Guilherme Guedes e Raul, o volante Balbino, o meia Matheuzinho e os atacantes Batista, Pepê e Lucas Poletto – todos com raras ou nenhuma partida pelo profissional.

– Domingo é ritmo para o Cristian e o Jael, que precisam buscar ainda mais o ritmo de jogo. Nesse longo tempo, todo mundo teve bastantes oportunidades. Não importa. Eu sempre falei para eles: é importante mostrar, ter entrega e buscar sempre o espaço na equipe – explicou Renato.



Veja também