Lucas Uebel/Grêmio

O atacante Ferreira, que chegou a acionar o Grêmio na Justiça para rescindir o contrato, está prestes a assinar a renovação. Clube e jogador tiveram uma reaproximação nas últimas semanas, e o Tricolor já vê com otimismo o desfecho de uma novela que se arrasta desde o início de 2020.

Houve inclusive uma nova proposta, e o acerto para a permanência do jovem de 22 anos é visto como “bem encaminhado”. Procurado pela reportagem, o empresário do jogador, Pablo Bueno, nega as tratativas.

Ainda assim, faltam detalhes para definir a assinatura de contrato. Uma das questões a ser tratada é justamente o tempo do novo vínculo de Ferreira com o clube gaúcho. O atual se encerra em junho de 2021.

As pazes do atacante com o Grêmio vem a calhar no momento que o clube mais precisa de jogadores ofensivos. Apesar das contratações de Robinho, Everton e Luiz Fernando, o técnico Renato Portaluppi mantém a necessidade de reforçar o plantel após a saída de Everton Cebolinha. Um centroavante também é procurado pela direção.

Recentemente, em entrevista ao Podcast do Grêmio no ge, o vice de futebol Paulo Luz admitiu que as negociações poderiam ser retomadas, desde que o processo seja retirado ou suspenso. O que ainda não aconteceu.

O caso Ferreira

A polêmica teve início no fim de fevereiro, quando o Grêmio afastou Ferreira do grupo principal devido ao impasse na renovação de contrato. Com isso, o atacante ficou fora da lista de inscritos na Libertadores e no Gauchão.

A direção apresentou uma proposta de renovação até 2023 com salários de R$ 30 mil em 2020, R$ 35 mil em 2021 e R$ 40 mil em 2022 e 2023, além de um bônus por participação em jogos. Porém, os valores não agradaram.

O Athletico chegou a apresentar uma proposta pelo jogador, mas o negócio não avançou. O Cruzeiro também fez contato, porém, não chegou a evoluir a conversa para uma oferta oficial.

O estafe de Ferreira entrou com um processo na Justiça do Trabalho com pedido de rompimento do vínculo em caráter liminar, o que foi negado. Agora, resta aguardar a tramitação normal da ação.

Ferreira foi afastado pelo Grêmio e treinava na transição — Foto: Lucas Bubols/GloboEsporte.com

Ferreira foi afastado pelo Grêmio e treinava na transição — Foto: Lucas Bubols/GloboEsporte.com

Em abril, o jogador falou pela primeira vez sobre o caso, em uma entrevista para o jornalista Jorge Nicola. Disse ter sido coagido pelo clube e que buscou a liberação judicial por conta de atitudes de alguns dirigentes.

O Grêmio possui 80% dos direitos do atacante, enquanto a escola conveniada que revelou o atleta em Dourados, no Mato Grosso do Sul, tem os outros 20%. A primeira renovação de contrato de Ferreira ocorreu em julho do ano passado e vai até a metade de 2021.

Artilheiro do Brasileirão de Aspirantes de 2019, Ferreira começou a ganhar chances no profissional no segundo semestre e tem dois gols e duas assistências em nove jogos no time principal.



Veja também