Lauro Alves / Agencia RBS

A falta de acordo entre 30 clubes brasileiros e a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf), que discutiram o atual cenário do futebol no Brasil, paralisado pela pandemia do coronavírus, abriu uma nova etapa de negociação.

O resultado final da discussão definiu que as equipes concederão 20 dias de férias coletivas a partir de 1º de abril e que os clubes vão reavaliar a situação no próximo dia 15 para definir se retornam ou não às atividades. Os atletas desejavam 30 dias de férias a partir de 1º de abril, mais a licença remunerada de 10 dias no período das festas de final de ano.

Outro ponto em que não houve acordo foi quanto aos salários. A ideia dos dirigentes era de uma determinação nacional para redução de 25% de salários, algo que a Fenapaf não concordou. Sem acordo neste ponto, os clubes foram liberados para negociar com seus elencos.

Grêmio, que conta com 34 jogadores em seu grupo principal, está com suas atividades paralisadas por tempo indeterminado e orientou a todos que permaneçam em Porto Alegre. Como as atividades não devem ser retomadas antes de maio, a direção trabalha com as lideranças do grupo a ideia de redução salarial. 

Questionado sobre as conversas com os atletas, o presidente Romildo Bolzan Junior destacou que a negociação está em andamento, sem entrar em detalhes.

— Em discussão — limitou-se a responder, por mensagem, o mandatário tricolor que garantiu que o clube seguirá a orientação nacional de 20 dias de férias a partir de 1º de abril e mais 10 dias ao final do ano.

Os jogadores gremistas parecem estar dispostos a conversar com o clube sobre uma possível redução salarial neste momento. Em entrevista ao programa Show dos Esportes, da Rádio Gaúcha, o atacante Diego Souza disse entender dificuldades.

— A gente entende o que o clube vai passar. Todo mundo trabalha e tem seus direitos, mas penso que o clube conversando se resolve. Cada caso é um caso. Felizmente, eu tenho uma carreira mais perto do final e consegui juntar meus recursos, consigo ter um pouco mais de tranquilidade. A gente tem de pensar no todo, no grupo. Alguns não têm condições de perder tanto por seus compromissos, mas será resolvido da melhor maneira possível — afirmou o goleador gremista no ano.

A fala de Diego Souza deixa a entender que o clube poderá fazer uma negociação caso a caso, já que ele entende que alguns jogadores têm uma estabilidade financeira mais definida.  Oficialmente, o Grêmio não detalha sua proposta, mas sobre as férias a ideia é pagar a metade do valor referente em maio e a outra parte no final do ano. 



Veja também