O Campeonato Gaúcho deve ser finalizado com um número reduzido de sedes a partir do seu retorno no dia 15 de julho. E a proposta feita para os jogos serem realizados na estrutura da dupla Gre-Nal, em Porto Alegre, e em mais um estádio da Região Metropolitana ganha força em debates entre dirigentes.

Assim, as últimas três rodadas da fase classificatória podem ser disputadas na Arena e no CT Luiz Carvalho, do Grêmio, no Beira-Rio e no CT Parque Gigante, do Inter, e no Estádio do Vale, casa do Novo Hamburgo. Todos os jogos seriam sem público, com portões fechados.

Inter e Novo Hamburgo confirmam a possibilidade, enquanto o Grêmio diz que são “possibilidades noticiadas”, mas ainda sem confirmação da Federação Gaúcha de Futebol (FGF).

CT Parque Gigante e Beira-Rio serviriam para sediar jogos — Foto: Internacional / Divulgação

CT Parque Gigante e Beira-Rio serviriam para sediar jogos — Foto: Internacional / Divulgação

A proposta foi feita pelo 1º vice-presidente do Inter, João Patrício Herrmann, há um mês. Mas ganhou força a partir dos últimos dias em debates internos em um grupo de aplicativo de mensagens dos dirigentes dos clubes do Gauchão.

Nesta segunda-feira, o presidente da FGF, Luciano Hocsman, se reuniu com o secretário de Esporte e Lazer, Francisco Vargas, para tratar do retorno do campeonato. Houve uma mudança na pasta recentemente e o encontro também serviu para uma aproximação entre as parte.

Na reunião, foi proposta a possibilidade de reduzir as sedes para diminuir os deslocamentos das equipes. A ideia é manter as equipes concentradas até o fim do segundo turno.

— Existe uma possibilidade de diminuirmos os deslocamentos. Estamos trabalhando no sentido de fazer com que o menor número de delegações transitem e (o campeonato) seja jogado em cidades adequadas. Temos várias regiões em debate — explicou Hocsman ao GloboEsporte.com após o encontro.

CT Luiz Carvalho, do Grêmio — Foto: Lucas Bubols

CT Luiz Carvalho, do Grêmio — Foto: Lucas Bubols

Divergências

Há algumas divergências internas. Mas o Pelotas, por exemplo, aceita a ideia se houver hospedagem e alimentação garantidas, sem custos. São Luiz, de Ijuí, era contra a redução de sedes há um mês, assim como o Brasil de Pelotas. Os dois clubes não responderam aos contatos da reportagem.

A Federação agora aguarda uma nova reunião com o governador Eduardo Leite e com os representantes da Secretaria da Saúde para dar andamento ao processo de retorno do futebol.

Inter e Grêmio esperavam retomar atividades coletivas nesta terça-feira, mas o prefeito Nelson Marchezan freou as liberações em Porto Alegre após aumento da ocupação dos leitos de UTI na capital.

O Campeonato Gaúcho foi suspenso no dia 16 de março, na terceira rodada do segundo turno, e pode ser retomado a partir do dia 15 de julho, se houver consentimento do governo estadual.

A tabela aponta para um retorno cheio de clássicos, com Gre-Nal, Ca-Ju e Bra-Pel. São necessárias mais sete datas para a conclusão do campeonato. Ou cinco, caso o Caxias, campeão do primeiro turno, conquiste também o segundo.



Veja também