Cinco ciclos que podem se encerrar no Grêmio após o Brasileirão

As mudanças no clube para 2022, independentemente da permanência na Série A

28 de outubro de 2021 - Às 07:18
Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Com indefinição sobre a permanência na elite do futebol brasileiro para 2022, o Grêmio está próximo de presenciar finais de ciclos dentro e fora do vestiário. Tanto jogadores quanto conceitos podem ser revistos na nova temporada. GZH lista cinco possíveis alterações no Tricolor para o próximo ano.

Geromel e Kannemann

Os ídolos entram em seus últimos momentos na Arena. Ambos têm vínculos até o final de 2022. Desde 2020, não conseguem sequência em campo por questões físicas ou médicas. Na atual temporada, a dupla de zaga histórica atuou junta em 11 ocasiões. Além dos problemas físicos e suspensões, o envelhecimento dos jogadores é apontado como tendência de rejuvenescimento do setor defensivo. Geromel tem 36 anos, Kannemann, 30.

Um eventual rebaixamento para a Série B poderá reduzir os investimentos do Grêmio. Desta forma, seguir com os atletas, que custam juntos mais de R$ 1 milhão, seria quase inviável.

Rafinha como líder

Apesar de “novato” na comparação com outros atletas, o camisa 13 assumiu o posto de líder do vestiário gremista. Em caso de descenso, o lateral não deverá renovar o seu contrato com o clube. Em caso de permanência na Série A, ele poderá assumir a posição pelo lado direito, já que Vanderson interessa a clubes europeus.

Hoje, Rafinha ocupa o posto de terceiro capitão do time. Pela trajetória em Porto Alegre, Geromel e Kannemann ainda estão à frente, mas a palavra que mais tem sido consultada internamente em referência ao elenco é a do experiente ala. Por isso, outros líderes poderão ser forjados ou buscados para 2022.

Cortez 

Com contrato prestes a vencer, dificilmente o camisa 12 renovará seu vínculo com o Tricolor. Ele perdeu espaço com a chegada de Diogo Barbosa, mas as oportunidades ficaram mais escassas com a improvisação de Rafinha no lado esquerdo. A tendência é de que o clube busque outras alternativas para o setor, independentemente de rebaixamento. Da base, Guilherme Guedes é a primeira opção.

Diego Souza

O centroavante já externou o desejo de encerrar a carreira em breve. A decisão ainda não está definida, e pode até ocorrer ao término desta temporada. Pelo desempenho recente e condicionamento físico, Diego Souza tende a não renovar o seu vínculo com o Tricolor.
Ele tem 62 gols com a camisa gremista: atuou pelo clube em 2007 e retornou em 2020.

Superávit

Algo elogiado na gestão Romildo Bolzan, o Grêmio acumula o equilíbrio das contas desde 2016. De la para cá, o Tricolor não teve prejuízo em nenhum ano. O fato celebrado pelos apoiadores do presidente terá de ser amplamente trabalhado no orçamento para seguir a tradição, já que em caso de rebaixamento as cotas televisivas serão drasticamente cortadas. Desta forma, os contratos longos e milionários deverão ser revistos.



Veja também