O centroavante Diego Churín foi apresentado pelo Grêmio no fim da tarde desta segunda-feira no CT Luiz Carvalho. O argentino de 30 anos reconhece a chance como sonho e o maior desafio da carreira. A promessa é de entrega para brilhar em Porto Alegre com a camisa número 19.

Nova alternativa para o ataque, o centroavante teve 80% dos direitos econômicos comprados pelo Grêmio por cerca de R$ 8 milhões. A chance no mercado brasileiro, depois de passar por alguns clubes menores no Chile e pelo Cerro Porteño, no Paraguai, vem como um sonho para o argentino.

— É o maior desafio da minha carreira. Estar aqui no Grêmio, com as instalações que tem, onde o futebol é uma religião, com a paixão que eu vivo, não sei se me imaginei, mas é uma satisfação muito grande. Algo que sempre sonhei e estou cumprindo à base de esforço e sacrifício. Tenho que estar à altura de um clube tão grande — destacou em sua primeira entrevista como gremista.

Diego Churín com a camisa 19 do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Diego Churín com a camisa 19 do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O centroavante está desde a última sexta-feira em Porto Alegre e fez o primeiro treino com os companheiros na tarde desta segunda. O Grêmio trabalha para regularizá-lo até quarta-feira e colocá-lo à disposição para o jogo com o Juventude, na quinta, pela Copa do Brasil. Churín não crê em dificuldades para se adaptar à vida no Brasil.

— Estive em dois países diferentes e não tive dificuldades para me adaptar. Que aqui não seja a exceção. É me adaptar rapidamente ao futebol, aos meus companheiros e ao que quer o Renato dentro de campo. Estar o mais rápido possível dentro do campo e demonstrar o que posso dar — apontou.

Alternativa a Diego Souza, artilheiro do Grêmio no ano com 13 gols, Churín destaca a capacidade física e entrega no seu estilo de jogar. Prometeu se dedicar para o coletivo e chegou a dizer em determinada resposta que não importa o que ele prefere, mas o time.

— De minhas qualidades, posso falar da potência física, de segurar a bola na frente quando for necessário, o sacrifício na hora de poder pressionar, marcar e tratar de colaborar na parte defensiva. E na predisposição do que quer o técnico. Ajudar no que posso e ainda mais — completou.

Diego Churín em primeiro treino no Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Diego Churín em primeiro treino no Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Diego Churín deixou o Cerro Porteño com uma despedida digna de ídolo. O centroavante foi artilheiro na conquista do Apertura do Campeonato Paraguaio, em setembro, seu segundo título nacional pelo “Ciclón”.



Veja também