Quase cinco meses após vender Everton, o Grêmio tem agora Pepê como o alvo do cerco de clubes europeus nesta janela de transferências. O Tricolor tentará manter o atacante de olho nas finais da Copa do Brasil, mas entende que há reposições no elenco atual e nas categorias de base, ou melhor, na linha sucessória de pontas.

Conforme apurou o ge, o Porto pretende tirar Pepê do Grêmio pela segunda janela de transferências consecutiva. Novos clubes têm demonstrado interesse pelo atacante, como o Zenit, da Rússia. Há ainda sondagem do Real Madrid, como informou recentemente o jornalista André Hernan.

Mas, oferta mesmo, não há. Ao menos, foi o que garantiu o presidente Romildo na noite da última quarta-feira, dia 30 de dezembro, quando o Grêmio eliminou o São Paulo da Copa do Brasil.

— A primeira coisa que tem que acontecer é ele receber a proposta. Não vamos fazer um raciocínio de que se o Pepê sair, se tiver proposta, ele sairá no final de janeiro. Temos o mês de janeiro ainda para jogar. Não temos proposta, nenhum clube interessado oficialmente, não temos nada que possa sofrer por antecipação. Vamos aguardar as coisas acontecerem — declarou o mandatário.

Em outubro do ano passado, o ge noticiou a resistência do Grêmio para não vender Pepê justamente ao Porto. Na época, os valores da oferta na casa dos 15 milhões de euros até agradaram o Tricolor. Mas por já ter vendido Everton, a perda para o time seria de difícil reposição.

A tendência é que o clube português volte a sondar Pepê neste início de 2021. Internamente no Tricolor, o jogador é considerado essencial para disputar as finais da Copa do Brasil diante do Palmeiras, marcadas para 3 e 10 de fevereiro – semana em que as janelas europeias se encerram.

Outros clubes já fizeram movimentos pelo atleta em janelas recentes, como Atalanta (Itália), Wolverhampton (Inglaterra) e Sevilla (Espanha). Mas para tirá-lo do Grêmio será necessária uma boa oferta.

Afinal, sua multa rescisória é de 150 milhões de euros. Recentemente o atacante renovou contrato até o fim de 2024 com o Tricolor, que detém 70% dos direitos econômicos do atleta. Os outros 30% são do Foz do Iguaçu, clube no qual o Tricolor foi buscá-lo em 2016.

Pepê, atacante do Grêmio, tem sido sondado por clubes europeus — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Pepê, atacante do Grêmio, tem sido sondado por clubes europeus — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Quem é o próximo da fila?

Com o interesse crescente dos europeus por Pepê, surge a questão de quem será o próximo da fila dos pontas do Grêmio. Afinal, o atual dono da posição supriu a saída de Cebolinha, que substituiu Pedro Rocha e assim sucessivamente vem ocorrendo no Tricolor.

O próprio presidente Romildo fez um exercício de imaginação caso Pepê saía. Para ele, há o entedimento de que haverá atletas para manterem a competitividade no time.

— O Pepê é um jogador extremamente importante. Vamos admitir a hipótese da saída dele? Olha, tem Luiz Fernando, Alisson, Ferreira, o Guilherme Azevedo, tem jogadores na transição muito bem e podem ser aproveitados. O Grêmio tem alternativas importante que, sinceramente, não sofrerão continuidade na capacidade de competir — finalizou Romildo na sua entrevista coletiva na quarta-feira.

Como Luiz Fernando, Alisson e Guilherme Azevedo costumam atuar pela ponta-direita, a tendência é que Ferreira seja o substituto imediato de Pepê. Outro garoto valorizado pelo Grêmio é Elias, ponta-esquerda do time sub-23 do clube e que pode subir para o time principal na próxima temporada.



Veja também