Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Flickr / Divulgação / CP

Há cerca de uma década, o Grêmio adotou a numeração fixa dos atletas. Cada jogador passou a ser identificado a um número nas competições nacionais e internacionais. Diego Tardelli herdou a 9 de Jael, Luan é o dono da 7 e até mesmo Cortez, que é titular, assumiu de vez a camisa 12. Uma estratégia que é boa para o marketing e também para fixar a história no imaginário dos torcedores. Uma das mais místicas, porém, está vaga desde a saída de Douglas: a camisa 10. E, mesmo com as novas contratações, ninguém se adonou.

Candidatos não faltaram. Marinho começou a temporada como titular, mas a partir do jogo com o Avenida, pela Recopa Gaúcha, quando o Tricolor adotou de vez a numeração fixa, ele entrou em campo com o número 30 às costas. Seu concorrente na meia-direita, Montoya vestiu a camisa 10 no Cruz Azul, do México. Porém, na Arena, entrou com a camisa 20.

– Me deram três números para escolher, e não havia a 10 – disse o argentino, citando os números oferecidos: 18, 19 e 20. – Escolhi a 20 por um gosto pessoal, nada demais. No Cruz Azul, sim, joguei com a 10. Mas não fui feliz, então, a 20 está bem – brincou, arrancando gargalhadas dos presentes na sala de coletivas do CT Luiz Carvalho.

Nas redes sociais, o meia Jean Pyerre, o 21 na lista gremista, deu indícios de que pode acabar com a 10 às costas para a Libertadores em mensagens postadas com um 1 e depois um 0 – na base, estava habituada a vestir essa responsabilidade. Douglas era o camisa 10 “de direito” no clube até dezembro, a ponto de ser chamado assim dentro do elenco, enquanto Cícero vestia o número na Libertadores. Ambos não renovaram os seus contratos e estão em Avaí e Botafogo, respectivamente.

Quase todos os atletas apresentados nesta temporada vestiram uma camisa sem número na parte de trás. Somente Tardelli, em sua apresentação, vestiu a camisa com a numeração oficial: 9. A escolha tinha a ver com a saída do centroavante Jael, que deixou o clube para atuar no Japão, e ainda era uma escolha pessoal.

– Me dá sorte há um bom tempo, desde o Atlético-MG, na China. O Jael fez essa para mim, e espero representar – afirmou Tardelli.

Felipe Vizeu e Jean Pyerre são candidatos ao 10 — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Felipe Vizeu e Jean Pyerre são candidatos ao 10 — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Para a Libertadores, o Grêmio precisará inscrever 30 atletas até 72 horas antes da primeira partida, no dia 6, contra o Rosario Central. Com isso, jogadores que têm números acima de 30 devem ser encaixados em outras vagas. São os casos de Matheus Henrique (32 no ano passado), Felipe Vizeu (47) ou até André (90). Ainda estão vagos, além do 10, os números 14, 18 e 19. Para a última vaga, Renato deve ter de optar pelo zagueiro Rodrigues, pelo volante Darlan ou pelo goleiro Phelipe.

A direção gremista assegura que o número 10 não está reservado para uma contratação, pelo menos por enquanto. Assim, algum jogador do elenco deve herdá-lo para o torneio sul-americano. Contudo, ainda não foi definido quem. Para você, torcedor, quem merece ficar com a camisa 10 do Grêmio? Dê sua opinião na enquete acima.

Confira a numeração do Grêmio para a temporada até agora:

  • 1. Paulo Victor
  • 2. Léo Moura
  • 3. Pedro Geromel
  • 4. Kannemann
  • 5. Michel
  • 6. Leonardo
  • 7. Luan
  • 8. Maicon
  • 9. Diego Tardelli
  • 10. INDEFINIDO
  • 11. Everton
  • 12. Cortez
  • 13. Rômulo
  • 14. INDEFINIDO
  • 15. Vico
  • 16. Thaciano
  • 17. Lincoln
  • 18. INDEFINIDO
  • 19. INDEFINIDO
  • 20. Montoya
  • 21. Jean Pyerre
  • 22. Julio César
  • 23. Alisson
  • 24. Brenno
  • 25. Pepê
  • 26. Marcelo Oliveira
  • 27. Thonny Anderson
  • 28. Paulo Miranda
  • 29. Juninho Capixaba
  • 30. Marinho
  • 32. Matheus Henrique
  • 37. Darlan
  • 38. Rodrigues
  • 47. Felipe Vizeu
  • 90. André


Veja também