Leonardo Acosta / Agencia RBS

Na sexta-feira (6), o atacante Ferreira entrou com uma ação na Justiça pedindo a rescisão do seu vínculo com o Grêmio. A alegação foi de “constrangimento” e “coação” com o rebaixamento para o grupo de transição. A medida havia sido tomada pela direção tricolor após a recusa do atleta em renovar seu contrato com a equipe gaúcha.

LEIA MAIS: Ferreira pede rescisão de contrato;

Ao final da partida contra o Pelotas, pelo Gauchão, na qual o Grêmio venceu por 1 a 0, o vice-presidente de futebol do clube, Paulo Luz, falou sobre o tema.

— Cada um escolhe seu caminho e tem liberdade para fazê-lo. O procurador do Ferreira e o próprio jogador escolheram judicializar o processo. O Grêmio não vai mais se manifestar. Vamos responder no órgão competente, que é o Judiciário — afirmou.

Após negar a oferta gremista, o empresário do jogador, Pablo Bueno, chegou a fazer uma contraproposta, mas a situação não avançou. O dirigente gremista comentou a atuação do procurador.

— O empresário tem uma procedência. O jogador é jovem, mas tem 22 anos. Eu, com 22 anos, sabia assumir minhas responsabilidades — destacou.

Ainda de acordo com Paulo Luz, nenhuma proposta oficial foi apresentada ao Grêmio por Ferreira até o momento.



Veja também