André Silva / Agencia RBS

Se o torcedor do Grêmio queria um posicionamento definitivo sobre a candidatura do presidente Romildo Bolzan Júnior ao governo do Estado, ele segue frustrado. O dirigente gremista concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira (17) para falar sobre o início do clube na Série B do Brasileirão, mas não se furtou de responder sobre o seu futuro.

O dirigente é cogitado para ser candidato para concorrer ao Piratini neste ano. Filiado ao PDT, Bolzan já foi prefeito de Osório. Questionado sobre o tema, ele desviou o assunto. Ressaltou, principalmente, sua relação com o clube.

— Essa pauta não existe para mim hoje. Vamos tratar do Grêmio, que é a melhor coisa do mundo. Sou um ser político, mas sou um gremista. Sou o presidente do Grêmio. Tenho um compromisso em relação ao clube — explicou.

Na sequência, ao ser questionado novamente sobre o tema, sua resposta não foi assertiva. Mas, pela primeira vez, deixou em aberto a chance de retomar a carreira política.

— Não é definitivo (sobre não ser candidato). O tempo vai dizer, o tempo é que vai mandar — comentou.

Caso Romildo seja candidato, ele precisará se licenciar do clube. A presidência, de acordo com o estatuto, ficará a cargo do vice do Conselho de Administração com matrícula associativa mais antiga, que pertence ao ex-presidente Duda Kroeff. Filho do ex-patrono Fernando Kroeff, ele foi associado ao clube quando era bebê. Sua matrícula, em 1963, foi feita um mês antes da de Adalberto Preis. O estatuto prevê a mesma situação caso o presidente opte por deixar o cargo de maneira definitiva.

“Art. 89. Ficando vago o cargo de Presidente do GRÊMIO por renúncia, exoneração, morte ou outro impedimento definitivo, será preenchido pelo tempo faltante do mandato, mediante nova eleição que será realizada até 30 (trinta) dias a contar da vacância. § 1º. Se o mandato tiver sido cumprido por tempo superior à metade do previsto, o cargo vago será preenchido automaticamente pelo Vice-Presidente com matrícula social mais antiga dentre os que preenchem os requisitos do art. 90, I, deste Estatuto”.

Além de Kroeff e Preis, compõem o Conselho de Administração os vices eleitos Cláudio Oderich, Marcos Herrmann, Paulo Luz e César Augusto Peixoto.

De acordo com parágrafo terceiro do artigo 81 do regimento gremista, qualquer membro do Conselho de Administração, composto pelo presidente e por seis vices, precisa se licenciar da função automaticamente em caso de candidatura. O retorno às funções se daria até 30 dias após o fim da eleição conforme o parágrafo terceiro do artigo 81.



Veja também