Foto: Grêmio / Youtube / Reprodução / CP

O meia Martín Benítez foi apresentado como jogador do Grêmio no final da manhã desta quarta-feira e falou das suas pretensões ao vestir a camiseta do Tricolor. Embora tenha recebido o número oito, o jogador argentino considerou que atua como um “dez clássico” e disse ter uma predileção por fazer assistências ao invés de gols. 

“Com o tempo, fui me tornando um dez clássico. Eu prefiro dar assistências do que fazer gols e sirvo com um ponto de ligação entre os volantes e os atacantes. A intenção é fazer com que o time chegue mais rápido ao gol. Minha especialidade é ser meia e fazer o time funcionar, mas estarei no dia-dia com o treinador, que vai escolher o que é melhor para equipe”, afirmou. 

Questionado sobre a falta de sequência no São Paulo, seu último clube no Brasil, Benítez explicou que sempre esteve à disposição de Rogério Ceni durante o Brasileirão. “Como jogador, eu priorizo sempre o time e o grupo. No último trimestre não tive sequência, mas quero esclarecer que muitas vezes eu não jogava por decisão da comissão técnica. De qualquer forma, o que me interessa agora é o Grêmio. Independiente, Vasco e São Paulo agora estão no passado”, explicou. 

Benítez reafirmou que sempre teve o desejo de vestir a camiseta do Grêmio. Segundo ele, quando o diretor Diego Cerri procurou o seu empresário, não pensou duas vezes. “Pode dizer a eles que sim, que quero defender o Grêmio. Estou aqui pelo escudo, pela história e até pela sua representatividade na Argentina”, argumentou. 

Segundo Benítez, o Grêmio deve estar mais focado na Série B do que estava na Séria A no ano passado. “A dedicação deve ser maior porque todos os time irão querer tirar pontos do Grêmio. A Série B deverá ser muito competitiva para a nossa equipe”, acrescentou. 



Veja também