Artilheiro do Grêmio e um dos principais do Brasil nas últimas duas temporadas, Diego Souza retorna ao Tricolor em 2022 praticamente sem ter saído. Aos 36 anos, precisará aliar o faro de gol a uma “cartilha” proposta pelo clube para não descuidar a forma física, principal ponto de divergência entre entusiastas e críticos.

Depois de ter a liberação anunciada oficialmente dias após o rebaixamento na Série A, o centroavante teve uma reviravolta e acertou a “recontratação” na véspera da virada do ano.

Conforme revelou o executivo Diego Cerri em entrevista coletiva, o desejo do jogador em ajudar o time no retorno à elite e o “sacrifício” na questão física pesaram para a permanência em 2022

Na negociação e no retorno dele (Diego Souza), fez questão de voltar para ajudar no projeto de colocar o Grêmio novamente na Série A. Se mostrou disposto a fazer sacrifício grande, treinamento, cumprir uma cartilha específica.— Diego Cerri, executivo do Grêmio

Diego Souza comemora gol do Grêmio contra o Corinthians pelo Brasileirão — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Diego Souza comemora gol do Grêmio contra o Corinthians pelo Brasileirão — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Não é de hoje, aliás, que Diego Souza trava um duelo pessoal com a balança. Nas temporadas recentes, o sobrepeso foi seu grande dilema. Com 37 anos a completar em junho, também já não tem a mesma forma dos tempos áureos, em meados dos anos 2000.

– É um jogador que tem muita massa, grande, com porte físico. Entendemos que tem que estar seco, mas mantendo força de explosão. Temos equipe qualificada, nutricionistas, médicos, fazendo trabalho específico para ele. Ele também sabe que para estar bem neste ano tem que cuidar da parte física. Está muito disposto – destaca Cerri.

Diego Souza em 2020 e 2021

  • 105 jogos
  • 52 gols
  • 14 assistências

O porte físico avantajado fez Diego avançar nas posições do campo. Volante de origem na base do Fluminense, atuou como meia no próprio Grêmio, em 2007, depois Palmeiras, Atlético-MG, Vasco e Cruzeiro.

No retorno ao Brasil para jogar no Sport, após uma temporada no futebol ucraniano, virou homem de área e empilhou gols por lá, no São Paulo e no Botafogo. Voltou ao time gaúcho em 2020 como centroavante.

Nos dois últimos anos, marcou 52 gols em 105 jogos. Os números dão inveja a boa parte dos artilheiros brasileiros atualmente. Mesmo em um período de baixa durante 2021, quando virou reserva de Borja, não deixou de balançar as redes.

Apesar do rebaixamento, encerrou o ano passado como um dos responsáveis por evitar que a Série B chegasse mais cedo ao Grêmio com seus gols decisivos. Tanto que a direção foi ao mercado procurar um substituto e não o encontrou.

Nas entrevistas desde que assumiu o cargo de vice de futebol, Denis Abrahão sempre manifestava a preocupação com a forma física de Diego Souza. Por outro lado, rasgava elogios ao potencial de goleador. É neste contexto que os dirigentes acreditam para 2022.

– Cada atleta tem sua individualidade, sua qualidade técnica diferente, parte física, mental. E a gente tem que tratar cada ser humano específico, dar atenção a todos. O Diego vai ser tratado com muita proximidade e profundidade com a nossa equipe técnica. Tenho certeza que terá um ótimo rendimento em 2022 conosco – assegura o executivo Diego Cerri.

O elenco tricolor é esperado na segunda-feira para a reapresentação de olho na pré-temporada. Aí então Diego Souza irá traçar as metas para se manter em forma no intuito de devolver o Grêmio à Série A.



Veja também