Assis abre os olhos Gremistas: Ronaldinho não foi liberado e Tricolor tem de se mexer

31 de dezembro de 2010 - Às 15:36
No último post, falei sobre a notícia de que os jornais italianos disseram que Ronaldinho havia sido liberado pela diretoria do Milan, mas nesta Sexta, o irmão e empresário de Ronaldinho, Assis, negou tudo.
A sua saída do Milan só acontecerá se for pago sua multa rescisória, que é de R$ 17,8 milhões. Assis também disse que até o dia 4 de Janeiro tudo se resolve, e ele estará livre se houver o pagamento da multa.
O Grêmio não tem prioridade na negociação. O que define para onde o jogador vai, é quem pagar sua multa rescisória.
Concorrência é grande para ter o jogador

– Claro que seria excitante voltar para casa. Mas o Grêmio tem que se mexer. Tento fazer o meu máximo, mas, se não acontecer, não posso fazer mais nada, a culpa não é minha – ressaltou o procurador.

O presidente Paulo Odone, em Outubro, disse que o Grêmio pagaria no máximo, R$ 300 mil mensais ao jogador, mais uma porcentagem de contratos publicitários.
– O Milan pode ter liberado o jogador, mas ainda não acertou a forma de rescisão. O negócio só será viável se o jogador estiver liberado sem custos – avisou Eduardo Antonini, no exercício da presidência até o retorno de Paulo Odone, que passa a virada de ano em Punta Del Este, balneário uruguaio.
O JORNAL ZERO HORA FEZ UMA ENTREVISTA COM ASSIS. CONFIRA NA ÍNTEGRA, ABAIXO:
Confira a entrevista com Assis:
Zero Hora – Sites italianos dizem que o Milan liberou Ronaldinho. Você confirma essa informação?
Assis – Não procede. Acho que está havendo uma tradução errada. Ele (Adriano Galliani, vice-presidente do Milan) não disse isso. Falei com ele.

ZH – Os sites dizem que ele será vendido em janeiro.
Assis – Galliani não falou isso. Uma venda só ocorreria se fossem atendidas as exigências.

ZH – O pagamento da multa rescisória?
Assis – Exatamente.

ZH – Então, Ronaldinho não está voltando para o Brasil?
Assis – Claro que não, ele tem contrato com o Milan.

ZH – É possível que o valor da multa seja reduzido?
Assis – Tudo pode acontecer, não há nada certo. O ideal para todos seria que ele saísse livre, mas isso é difícil. Até o dia 4, tudo se resolve. A primeira coisa é o acerto com o Milan.

ZH – É possível que Ronaldinho jogue em outro clube brasileiro que não seja o Grêmio?
Assis – Depende de quem tenha disponibilidade. Se houver o pagamento, ele estará livre.

ZH – A preferência no Brasil não é do Grêmio?
Assis – Claro que seria excitante voltar para casa. Mas o Grêmio tem que se mexer. Tento fazer o meu máximo, mas, se não acontecer, não posso fazer mais nada, a culpa não é minha.


Veja também