Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O Grêmio inicia nesta terça-feira (22) a preparação para o Gre-Nal. Após dois dias de folga, o técnico Roger Machado terá quatro dias de treinos dedicados exclusivamente a construção da equipe que enfrentará o Inter no próximo sábado, às 19h.

Após uma escalação emergencial, com apenas um dia de trabalho antes da estreia, o time que pisará no gramado no gramado do Beira-Rio será o primeiro esboço montado com as ideias e no modelo preferencial do treinador. Por conta do período de trabalho, a chance é de que algumas mudanças sejam vistas em relação ao grupo utilizada na goleada por 4 a 0 sobre o São Luiz na última rodada do Gauchão.

O setor com maior possibilidades de alterações é no meio de campo. Além de novos nomes, a estrutura pensada para o clássico também poderá ter novidades. Após usar um tripé no meio, com Villassanti mais recuado e Gabriel Silva com Bitello mais liberados para atacar, o Grêmio poderá voltar a utilizar um meia de origem com a recuperação de Campaz. Ou repetir o modelo de três homens no meio, com peças mais defensivas.

Ideias que começarão a ser postas em práticas a partir do treino de terça-feira (22). GZH mostra abaixo os possíveis cenários:

Gol

O Gre-Nal indicará qual dos goleiros, definitivamente, assume a titularidade. Brenno e Gabriel Grando receberam três partidas de observação neste início de temporada. Em sua estreia, Roger Machado explicou em entrevista coletiva que a questão terá uma definição a partir de agora, após os testes feitos. A ideia da nova comissão técnica foi garantir oportunidades iguais aos dois jovens para que só depois das observações houvesse a confirmação de qual deles será o dono da posição:

— O revezamento tem de ter uma proposta, que é a de você conseguir oportunizar chances para os atletas que estão disputando uma posição. Já usei outras vezes em determinadas posições, mas em algum momento a gente precisa resolver. Já chamei os meus goleiros e disse que hoje (sábado, contra o São Luiz) seria o último jogo do revezamento. Nesta semana de clássico vou definir quem vai permanecer no gol. Agora é o momento de decidir para dar confiança e segurança ao jogador. Isso não é definitivo. O campo é que determina tudo.

Brenno fez parte da primeira escalação de Roger Machado, como também foi o primeiro a receber oportunidade entre os profissionais no ano passado. Gabriel Grando, ainda Chapecó na época, fez sua primeira partida com o grupo principal em um Gre-Nal. O goleiro foi o destaque na estreia de Felipão, no empate sem gols na Arena, válido pelo primeiro turno do Brasileirão.

Volantes

A situação é a maior indefinição no lado azul na semana Gre-Nal. Com todas as peças à disposição, Thiago Santos cumpriu suspensão na última rodada, Roger Machado pode optar até por utilizar uma escalação com mais jogadores da função e abrir mão da figura de um meia tradicional. 

Contra o São Luiz, Villasanti teve a responsabilidade de ser o marcador mais próximos dos zagueiros. O paraguaio veio no ano passado como uma peça para suprir a saída de Matheus Henrique, mas ainda não se firmou como um volante de maior contribuição ofensiva. Com o retorno de Thiago Santos, que tem mais características defensivas, Roger pode alterar a distribuição dos volantes escolhidos para o Gre-Nal. Lucas Silva e Villasanti servem como alternativas, com Bitello também em evidência pela boa atuação como um jogador com mais liberdade para se somar aos atacantes. 

— Comprovadamente, o Grêmio precisa pensar em ter volantes de maior mobilidade, que deixem o time mais solto, com capacidade de atacar. O time deve ser o mesmo para o restante da temporada. Não há a necessidade de uma mudança radical. A dupla de volantes poderá ter Fernando Henrique e Bitello, mas, neste momento e para o Gre-Nal, Roger busca equilíbrio no time. Apostaria na dupla entre Lucas Silva e Bitello, que se escalou como titular na formação que fez a melhor partida da temporada na goleada sobre o São Luiz — opina o narrador Marcelo de Bona.

Meia/extrema

As três peças da faixa central estão em aberto, mas a maior dúvida é se o time terá um armador tradicional ou se recorrerá novamente ao estilo utilizado na estreia da nova comissão técnica. A questão é que a primeira exibição da versão com as ideias de Roger Machado deixou uma marca importante para o torcedor. 

Bitello e Gabriel Silva, novidades na equipe, foram os dois destaques na goleada sobre o São Luiz. Mas nenhum dos jovens têm presença garantida no time titular para o Gre-Nal. A situação de Campaz, que deve estar de volta aos treinos na reapresentação do grupo, também está indefinida.

Além da possibilidade de atuar como meia, abastecendo o sistema ofensivo a partir de uma posição centralizada, o colombiano também pode ser utilizado pelo lado do campo. O camisa 7 foi observado na vaga de Janderson durante os treinos da pré-temporada, com Benítez na função de armador. Mas como o argentino segue no departamento médico e não estará recuperado antes de sábado, a posição de Campaz fica indefinida até a definição nos treinos da semana no CT Luiz Carvalho. 

Pedro Lucas, recuperado de um problema muscular, corre por fora para ficar com uma das vagas para o Gre-Nal. O jovem meia vindo da base tem previsão de iniciar as atividades com o restantes dos companheiros a partir desta terça-feira e será observado por Roger Machado.



Veja também