Arthur mantém calma por titularidade no Grêmio

Volante foi eleito melhor em campo pela Conmebol na goleada sobre o Guaraní do Paraguai

30 de abril de 2017 - Às 14:07
Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação / CP

Um dos principais destaques do Grêmio na goleada de 4 a 1 sobre o Guaraní, do Paraguai, o volante Arthur recebeu da Conmebol o prêmio de melhor jogador da partida. Apesar disso, o jovem, de 20 anos, mantém a calma com a possibilidade de ganhar uma vaga no time titular. O jogador afirmou que está tranquilo à espera de novas oportunidades na equipe.

“Fiquei muito feliz com a minha atuação, mas o foco não é com a titularidade. O foco é estar bem comigo mesmo, fazendo o meu trabalho e escutando as orientações do professor Renato. Quando a oportunidade surgir eu tenho que estar bem e responder à altura”, disse o jogador, garantiu que tem amadurecido bastante desde que passou a integrar o elenco principal. “Desde que comecei a jogar tudo mudou na minha vida. Tive que amadurecer mais porque no jogo profissional não se pode cometer erros. Até mesmo com vocês da imprensa, mas tem sido uma experiência boa. Tenho procurado trabalhar focado para seguir assim”, concluiu.

Sobre o prêmio de melhor jogador da partida, Arthur revelou que esse foi um objetivo traçado após ver troféus na casa de Ramiro. Ele, porém, não imaginava que tão cedo fosse receber esse reconhecimento.

“Esses dias eu estava na casa do Ramiro, que é um amigo meu, e tinha lá dois troféus. Perguntei o que era e ele disse que era o da Libertadores. Pensei comigo mesmo ‘quero ganhar um desses’. Não esperava que seria tão rápido. Foi uma felicidade indescritível”, revelou.

Sem preferência por posicionamento

Depois de atuar como volante no Paraguai, quando Renato Portaluppi escalou a equipe reserva, Arthur entrou adiantado na linha de meias na partida no jogo da Arena. O jogador afirmou que não tem preferência por nenhuma das funções. “No futebol moderno quanto mais posições você jogar mais agrega ao técnico. Em relação a isso fico tranquilo. Joguei bem de meia, mas volante é a minha posição de origem. Onde o professor Renato precisar eu vou poder ajudar”, projetou.



Veja também