Quando as atividades esportivas pararam no mundo por conta das restrições para combate à pandemia de Covid-19, o cenário de incerteza era uma ameaça aos clubes em diferentes frentes, em distintos países. Especialmente para o Grêmio, o trabalho da presidência de Romildo Bolzan Jr., marcada pelo equilíbrio nas contas, estava ameaçado – um 2020 atípico, sem receitas de público e uma crise que foi além da área sanitária, poderia fazer o legado de sua gestão se esvair. Neste final do ano, o dirigente comemorou não apenas a classificação à final da Copa do Brasil após empate em 0 a 0 com o São Paulo na noite de quarta: celebrou também que o time conseguiu manter a sua filosofia, apesar das dificuldades enfrentadas.

“Fizemos toda organização pra ficar esses seis meses parados, fizemos esse diagnóstico de que a ideia era deixar o Grêmio sólido e forte, de modo que não nos comprometêssemos demais para 2021. Conseguimos ter sucesso nessa política, na forma de organização. O que foi implementado e decidido foi efetivamente realizado e deu para o Grêmio uma dimensão importante de controle e segurança financeira. E os conceitos do clube estão todos presentes: equilíbrio econômico, financeiro, da formação”, avaliou.

Romildo comentou que a equipe comandada por Renato Portaluppi também consegue se manter competitiva, apesar de perdas importantes, como casos de Covid-19 e a venda Everton “Cebolinha” para o Benfica. “Quando se apresentam campeonatos que podemos chegar, estamos chegando, porque a competitividade é um dos nossos pilares. E queremos chegar ainda mais perto no Campeonato Brasileiro”, disse. O Tricolor encerra o ano com 45 pontos no Brasileirão, na quinta colocação; tem dois a menos que o quarto, Inter, e 11 de desvantagem ante o líder São Paulo.

Para o dirigente, o mês de janeiro será bastante complicado, com o objetivo de subir na tabela da competição. “Será extremamente difícil. Vamos enfrentar os adversários que estão ponteando o campeonato, por isso temos que ter a visão da continuidade”, comentou.

“Vamos combinar, não ganhamos nada”

Sobre a partida de ontem, Romildo disse que se sente “contemplado e realizado”. “Todos nós nos empenhamos muito para que isso acontecesse, respaldado todos os trabalhos da comissão técnica, que diga-se de passagem foi brilhante, jogadores também, num jogo extremamente tático, inteligente, estudado”, disse, afirmando que este foi apenas um pequeno passo rumo a um objetivo maior.

“Meu sentimento é de chegar a uma final, o Grêmio tem chegado muito próximo a finais. Chegamos em mais uma, mas vamos combinar, não ganhamos nada. Estamos cumprindo uma etapa de classificação, vamos ver se festejamos esse título em fevereiro que será uma coisa muito mais deliciosa”, concluiu.



Veja também