Jefferson Botega / Agencia RBS

Mais uma vez, Marcelo Grohe foi decisivo para o Grêmio na Libertadores. Depois da defesa milagrosa no chute de Ariel, contra o Barcelona, na semifinal, o goleiro gremista voltou a fazer uma intervenção salvadora no primeiro jogo da final, nesta quarta, contra o Lanús.

Aos 39 minutos do primeiro tempo, quando o jogo ainda estava empatado, o zagueiro Braghieri saltou e cabeceou no canto esquerdo. O goleiro gremista fez milagre:

– Fico feliz. Agradeço a Deus por este momento que estou vivendo. É um momento muito importante na carreira de todos, não só na minha. Disputar uma final de Libertadores não é todo ano – comemorou, antes de completar: – Fico feliz de dar minha parcela de contribuição, assim como todo o time.

Ao projetar o jogo da volta, Grohe disse esperar dificuldades, mas garantiu que o time gremista vai atrás do que chamou de “sonho”:

– Agora, é concretizar este sonho na Argentina. Temos mais 90 minutos. Se tiver que sofrer, vamos sofrer. Mas o mais imopratnte é sair de lá com o título.

Ainda que estivesse claramente satisfeito pelo resultado e pela importância de sua defesa, o goleiro gremista não deixou de reclamar da arbitragem – ainda que com mais calma do que os dirigentes e grande parte da equipe gremista:

– Isso a gente deixa para a direção. Saio feliz pelo resultado, mas triste pelo futebol. Não queremos ser beneficiados, mas também não queremos ser prejudicados.



Veja também