Foto: Lucas Bubols/ge.globo

Depois do primeiro passo dado no fim de semana, o Grêmio terá novas definições para desenhar a temporada 2022. A permanência do vice de futebol Denis Abrahão dá o pontapé inicial na possibilidade de mudanças no departamento de futebol, com a saída de nomes executivos e até análise sobre o técnico Vagner Mancini no decorrer desta segunda-feira.

A publicação gremista praticamente confirmou novas mudanças durante a semana ao confirmar Abrahão no cargo. A tendência é que o executivo Diego Cerri não continue para o próximo ano, assim como o coordenador técnico Marcelo Oliveira. Mas isso não está completamente definido.

Os resultados da temporada pesam sobre a dupla. Cerri e Oliveira estão sob críticas nos bastidores e a informação que circulava antes da confirmação da permanência de Denis Abrahão era a saída de ambos. A avaliação dos bastidores gremistas é que a estrutura de 2022 passa por Abrahão como protagonista do departamento.

Um dos comentados para preencher a vaga de executivo é Francesco Barletta, coordenador geral da base do clube. O executivo Ari Barros, do Náutico e com passagem pelo Juventude, também foi sondado por agentes ainda na reta final da Série B.

Se o fulano vai ficar ou sair, isso será pauta de análise, faremos reesutrutração muito forte. Vou ajudar no que puder. A minha atividade profissional é essa, fazer reestruturações. Mas tomara a Deus que eu consiga administrar tudo isso – disse Abrahão após o rebaixamento, na quinta.

Outro ponto que precisa de confirmação é a situação do técnico Vagner Mancini. Depois do rebaixamento selado na última quinta, Abrahão garantiu que se permanecesse, o treinador seguiria no comando. Isso deve se manter, com Mancini como o responável pelo time em 2022.

No entanto, durante o domingo, nenhuma fonte confirmou a sequência do trabalho oficialmente. O ge ouviu apenas que seria decidido durante a segunda-feira com uma análise da diretoria gremista inteira.

O Conselho de Administração se reúne nesta segunda-feira para tratar da continuidade do planejamento para a próxima temporada com a Série B confirmada no horizonte. O clube gaúcho terá uma queda de cerca de R$ 60 milhões em receitas só de direitos de transmissão.

Por isso, o elenco será enxugado, já que a folha beira os R$ 15 milhões atualmente. O meia Jean Pyerre tem negócio em andamento com o Alavés, da Espanha, enquanto o lateral-direito Vanderson está próximo de ter confirmada a venda ao Brentford, da Inglaterra. Este negócio pode render cerca de R$ 50 milhões aos cofres gremistas.

Outros nomes também tinham saída programada, como Cortez, Rafinha e Diego Souza. Mas passarão por reanálise pela diretoria durante esta segunda-feira. O Grêmio irá precisar readequar salários para quem ficar.

A onda de mudanças deve ter início nesta segunda-feira e deve se prolongar por mais alguns dias. A diretoria promete uma “reformulação interna” para o próximo ano após o rebaixamento, embora o presidente Romildo Bolzan tenha citado que não há “terra arrasada”.



Veja também