Em vez de comentar sobre o desempenho do Grêmio no primeiro Gre-Nal da história pela Libertadores e seu empate em 0 a 0, Victor Ferraz precisou falar da briga generalizada que marcou o fim da partida. Para o jogador, Moisés, do Inter, originou a confusão que culminou em oito expulsões na noite desta quinta-feira, na Arena, em partida válida pela 2ª rodada da fase de grupos.

VÍDEO: ASSISTA AQUI AOS LANCES E A BRIGA NO CLÁSSICO

A confusão iniciou aos 40 minutos do segundo tempo. Moisés cometeu falta no gremista Pepê. Ambos estranharam-se, e os outros jogadores entraram na onda para completar o tumulto. Victor Ferraz lamentou o episódio, mas entende que o lateral rival foi o responsável por começar a confusão.

— Não é que começou no lance do Pepê. Começou no lance do Moisés. Pode até ter o Pepê envolvido. Mas o Moisés já entrou um pouco acima do que deve. Às vezes, ocorre o que houve — disse o lateral na saída de campo.

Victor Ferraz no Gre-Nal 424 — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Victor Ferraz no Gre-Nal 424 — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

O lateral acredita que o tumulto decorreu do desejo de ambas equipes em sair com os três pontos. O que, de fato, não ocorreu. Além disso, lamentou o mau exemplo dado pelos jogadores às mais de 40 mil pessoas que foram à Arena nesta noite.

— Nervo à flor da pele. Todo mundo quer ganhar e alguns se exaltam. Não pode ocorrer, prejudica o espetáculo. Não dá exemplo. O futebol envolve paixão, responsabilidade. Todo mundo quer ganhar e às vezes acontece — finalizou.

Fora da confusão, o Grêmio se manteve na vice-liderança do Grupo E da Libertadores. Volta a campo já neste domingo, diante do São Luiz, pelo Gauchão, em jogo marcado para as 11h, na Arena.



Veja também