O Grêmio busca um nome de impacto no mercado após desistir da contratação de Rafael Borré, do River Plate. O clube viu em Soteldo, do Santos, uma possibilidade para reforçar o elenco. No entanto, o cenário para tirar o venezuelano do Peixe não inspira avanços.

O Tricolor sabe o pedido do Santos: US$ 5 milhões (R$ 28,54 milhões pela cotação atual) para ter 50% dos direitos do meia-atacante. O valor é superior ao que seria pago por Borré, considerando a fatia adquirida.

Os valores apresentados para Borré eram de cerca de US$ 6 milhões de luvas (R$ 34,54 milhões, na cotação atual), US$ 2 milhões (R$ 11,51 milhões) de salário por ano e mais bônus por metas no contrato.

Soteldo está na mira da direção gremista — Foto: Ivan Storti/Santos FC

Soteldo está na mira da direção gremista — Foto: Ivan Storti/Santos FC

O imbróglio entre Santos e Huachipato, do Chile, é citado como complicador para que o Grêmio evolua a uma negociação. O Peixe não pagou aos chilenos pelo negócio e inclusive chegou a ser punido com impossibilidade de contratar por isso.

Soteldo é muito bem avaliado no departamento de futebol e conta com admiração de dirigentes do Grêmio. Já foi, inclusive, alvo de movimentos semelhantes no ano passado, admitidos pelo presidente Romildo Bolzan Jr.

O Tricolor procura nomes que “resolvam os problemas” no mercado. O clube viu em Borré o exato perfil buscado, mas desistiu da contratação após tamanha hesitação do atacante em assinar o pré-contrato. Os dirigentes demonstrataram contrariedade na não assinatura após o “sim” verbal do jogador.



Veja também