Foto: Reprodução/SporTV

Uma nova safra de volantes surgiu no futebol brasileiro, demonstrando qualidade com a bola nos pés. Recentemente, o menino Douglas, do Vasco, foi parar no Manchester City. Entre os boatos envolvendo outros nomes da posição, quem se destaca é Arthur, cria da base gremista de vinte anos. Após assumir a titularidade no início do ano e não a largar mais, o garoto já é cotado para atuar na Europa em um futuro próximo. No entanto, ele não se considera totalmente pronto para uma mudança. Apesar do sonho de atuar num grande clube do velho continente, a promessa acredita que precisa amadurecer e levantar uma taça relevante antes de partir.

– Queria poder saber isso também (se jogará em um grande clube da Europa), estou um pouco ansioso se vou sair ou não, se vou jogar em algum grande clube, porque também é meu sonho. Acho que primeiro tenho que me adaptar um pouco aqui no Brasil, porque são poucos jogos que eu fiz, preciso amadurecer um pouco. Ainda preciso me firmar como titular do Grêmio mesmo, conquistar um título aqui, porque eu já estou aqui há seis anos. Já aprendi a gostar do escudo, aprendi a ser gremista de verdade, sei os valores do símbolo, a cultura do time. Meu primeiro pensamento é conquistar um título grande com o Grêmio e, quem sabe, talvez sair – afirmou, em entrevista ao “Seleção SporTV”.

O volante desmentiu os rumores de que teria recebido e recusado propostas de equipes menores da Europa. Segundo Arthur, seu empresário lhe disse que haviam alguns clubes interessados em seu futebol, mas não houveram conversas “a fundo”.

– Ele me passou que tinham alguns times interessados mesmo, mas eu não cheguei a conversar a fundo com ele, porque, na verdade, não sei nem se ele passou para o Grêmio ou não. Eu deixo nas mãos do Grêmio, o que for bom para mim e para o clube, a gente vai sentar e conversar, e aí pensar no melhor. Mas ele não passou nada de proposta que seja realmente interessante para a gente.

Apesar do desejo de atuar na Europa futuramente, Arthur acredita que não é necessário ir para o futebol do exterior para desenvolver seu futebol ao máximo. Ele vê os clubes brasileiros fazendo mais investimentos nas categorias de base, mas reafirmou seu interesse em atuar nas grandes ligas europeias por conta da influência que receber desde a infância.

– Temos vários profissionais qualificados aqui no Brasil. Sim, o sonho de qualquer jogador é jogar na Europa, porque é uma coisa desde pequeno, as pessoas falam em Europa, grandes clubes. Mas acho que não necessariamente sair do Brasil para ter uma melhora tática ou tecnicamente. Os clubes no Brasil investiram bastante nas categorias de base.

– Isso é um mérito dos clubes brasileiros, que estão mudando um pouco esse pensamento de não querer contratar, mas sim de formar jovens atletas. Isso é muito importante, tem que dar parabéns a todos os dirigentes de grandes clubes do Brasil. A minha opinião, um pouco contrária que a da maioria, é que o Brasil forma grandes atletas e tem totais condições de fazer uma carreira no Brasil sem precisar ir para fora – avaliou o volante.

Arthur também elogiou a influência de Renato Gaúcho em seu desenvolvimento, especialmente por ter começado a atuar no elenco principal sob o comando do atual treinador. O diferencial de Renato, em sua visão, é a capacidade de lidar com os jogadores, por ter sido atleta e conhecer suas maneiras de pensar. Outro ponto importante para o volante foi a confiança passada pelo técnico, que sempre depositou confiança em suas capacidades.

– O Renato foi uma peça fundamental para o meu aprendizado, porque como ele já foi jogador, entende a linguagem do jogador dentro de campo. Ele sempre me deu bastante confiança, isso é muito importante no futebol. Você é jovem, a torcida não te conhece, você está vestindo uma camisa muito grande, muito pesada, que tem o mundo inteiro te acompanhando, é uma responsabilidade muito grande. Desde quando eu entrei, ele falou comigo. Me chamou de canto, conversou comigo e falou para eu ficar tranquilo porque ele já vinha me acompanhando nos treinamentos, sabia que eu ia dar conta do recado, que eu vinha treinando bem, me esforçando.

Arthur participou de 27 jogos pelo Grêmio na temporada, marcando dois gols no período. O jogo de estreia da joia gremista foi na derrota por 2 a 0 para o Flamengo pela Primeira Liga, no mês de fevereiro.



Veja também