Foto: Eduardo Moura

Não só treinos, academia e sessões de vídeos dos adversários marcam a passagem do Grêmio pelos Emirados Árabes. O grupo também aproveita as horas de folga para conhecer a cultura árabe. Na noite desta quinta-feira, no horário local, nas vésperas do confronto contra o Real Madrid na final do Mundial de Clubes, alguns jogadores e integrantes da comissão técnica foram conhecer a principal mesquita da capital dos Emirados Árabes.

Uma comitiva encabeçada por Kannemann, Bressan, Luan, Bruno Grassi, o auxiliar Alexandre Mendes, o preparador físico Rogério Dias, o preparador de goleiros Rogério Godoy e o médico Márcio Bolzoni rumou a Sheikh Zayed Grand Mosque, a Grande Mesquita.

Escudados por guias, que apresentavam cada detalhe da imponente construção, os gremistas, descalços (como é solicitado aos visitantes), observavam, posavam para fotos e faziam comentários em um tom de voz baixo, para evitar algazarra.

A Grande Mesquita do Xeque Zayed é toda construída em mármore branco e, sob efeito do sol, parece ficar ainda mais clara. Cercada por jardins e espelhos d’água, ela ocupa uma área de 22.412 metros quadrados e abriga até 40 mil fiéis. As paredes e o teto têm versos do Corão escritos em três tipos de caligrafia arábica por artistas de vários lugares do mundo.

O edifício, que pode ser visto de várias partes da cidade, foi construído entre 1996 e 2007 a pedido do xeique Zayed bin Sultan Al Nahyan (1918-2004), tido como o fundador do país, que governou os Emirados até sua morte, em 2004. A obra custou cerca de R$ 1,5 bilhão.



Veja também