A vitória do Grêmio sobre o Lanús pela Sul-Americana foi a segunda de Tiago Nunes no comando da equipe. O curto tempo limita, mas não impede que as primeiras ideias do treinador já possam ser praticadas, tais quais compactação, agressividade na marcação, saída construída.

O Tricolor fez, especialmente no primeiro tempo, uma atuação adequada ao novo caminho. Evitou que o Lanús levasse perigo ao gol de Brenno e esteve bem agrupado em campo. Houve, na mesma medida, poucos lances de “diversão”. Mas foi um time sólido e agradou ao treinador.

Foram duas jogadas perigosas para o Grêmio na etapa inicial. A primeira em uma pressão na saída de bola do Lanús. Diego Souza brigou e ajudou a deixar a bola viva para gerar o lance perdido por Ferreira.Nos aspectos do jogo, a consistência, a equipe teve boa compactação, tentou se aproximar nos momentos de pressão do adversário. Conseguiu circular a bola, manutenção desde a saída. E o espírito para competir, vencer os duelos.— Tiago Nunes

Tiago Nunes indica o caminho para o Grêmio seguir — Foto: Staff Images/Conmebol

Tiago Nunes indica o caminho para o Grêmio seguir — Foto: Staff Images/Conmebol

O gol veio em um contra-ataque rapidíssimo. Algo citado por Tiago em suas primeiras entrevistas: ganhar duelos. Os argentinos tinham escanteio, mas a defesa afastou. Matheus brigou pela bola e lançou Ferreira pela esquerda.

O atacante colocou na frente e Aude não achou o rival nem para fazer a falta — e olha que o lateral tentou. Em um passe na medida, Léo Pereira empurrou a bola para o fundo da rede.

Ou seja, até aí o time mostrou compactação, se defendeu de maneira agrupada, marcou no campo de ataque quando necessário e também fez seu gol. Nada de novo no mundo da bola, é verdade. Mas o fato importante é executar o que é pensado.

Fez um jogo com mais posse na casa do rival, trocou mais passes — 475 contra 361 do Lanús — e teve mais finalizações, 12 a 6. Também chama atenção o número de desarmes, 31. Contra o La Equidad, por exemplo, foram só 15. Na estreia de Tiago Nunes, na vitória sobre o Ypiranga, 16.

Queda de ritmo no segundo tempo e gol coletivo

Geromel voltou com boa atuação, mas se precipitou no gol do Lanús — Foto: Staff image/Conmebol

Geromel voltou com boa atuação, mas se precipitou no gol do Lanús — Foto: Staff image/Conmebol

O Grêmio não teve capacidade para manter o ritmo no segundo tempo. Uma queda física clara, mas também ação do técnico rival, Luis Zubeldía. Orsini e Quignón melhoraram o jogo por dentro do Lanús, que passou a ter Belmonte mais avançado para aproveitar a segunda bola e tirar espaço de Thiago Santos.

A entrada de Maicon por si só também não surtiu efeito para o Grêmio. Brenno trabalhou até não conseguir evitar o gol de Belmonte, após lance na entrada da área de De La Vega com Bernabéi.

Tiago Nunes agiu. As entradas de Churín e Luiz Fernando devolveram o Grêmio para o jogo. Especialmente o atacante, que entrou mais participativo que Léo Pereira. Minutos após as trocas, o time gaúcho cresceu e voltou ao campo ofensivo. Com Ferreira, sempre ele, levava perigo.

Mas o gol da vitória, embora finalizado por Ferreira, teve mais responsáveis. A jogada iniciou com uma triangulação de Rafinha, Maicon e Lucas Silva. Os dois últimos começaram no banco de reservas. Luiz Fernando, outro substituto, recebeu do lateral, encarou a marcação e fez o cruzamento.

Ferreira, Thiago Santos, Churín e Cortez comemoram gol do Grêmio — Foto: Staff image/Conmebol

Ferreira, Thiago Santos, Churín e Cortez comemoram gol do Grêmio — Foto: Staff image/Conmebol

Teoricamente o volante mais defensivo, Thiago Santos teve participação efetiva ao fazer o pivô dentro da área e escorar para Ferreira definir a vitória. Ou seja, o gol é coletivo, com dedo do treinador, por trabalhar todas as peças envolvidas no elenco.

São apenas primeiros indícios, o tempo ainda é curto. Mas também é sinal que as ideias estão sendo absorvidas nos trabalhos diários. O clube passará por dificuldades ainda, mas tem um norte.

E a rotina intensa segue. O Grêmio chega a Porto Alegre no fim da manhã, vai para o hotel que serve de concentração para almoçar e depois vai para o CT Luiz Carvalho para o treino da tarde. No domingo, encara o Caxias na primeira partida da semifinal do Gauchão.



Veja também