O grupo de garotos do Grêmio que disputa o Gauchão exibiu fragilidades e oscilou pela primeira vez na noite de segunda-feira, contra o São José, em jogo atrasado da terceira rodada. Mas também demonstrou poder de reação para buscar o empate em 1 a 1 e chegar ao topo da tabela. Foi o primeiro tropeço do Tricolor após cinco vitórias seguidas – as três últimas com esse elenco.

Uma das primeiras adversidades apareceu logo no começo da partida. O Grêmio tentava o jogo por baixo, com toques curtos, mas a organização tática do São José impedia sua eficiência. Assim, o time precisou apostar nos lançamentos da defesa ao ataque.

— (A bola longa) Foi uma situação que tivemos que utilizar em razão do sistema defensivo do adversário, jogou com linha baixa, dentro da área deles. As alternativas eram a individualidade dos extremas ou a mudança de lado buscando explorar a diagonal na linha alta. Em algumas situações, obtivemos sucesso, outras, não. Estava bem bloqueado pela equipe adversária. No geral, a equipe foi muito bem — disse.

Pedro Lucas comemora primeiro gol pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Pedro Lucas comemora primeiro gol pelo Grêmio — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Desta forma, a criação no meio de campo foi reduzida enquanto a marcação forte, ríspida e exigência física aumentaram. Tanto é que Guilherme Azevedo saiu com problema muscular na coxa direita aos 36 minutos do primeiro tempo, dando lugar para Léo Chú.

O São José voltou do intervalo pressionando o Grêmio e teve êxito aos sete minutos. Darlan atravessou passe na defesa e deixou a zaga exposta. A bola sobrou para Rafael Tavares que tocou por elevação para Luiz Eduardo abrir o placar.

Porém, ficou nítido que Brenno e Rodrigues falharam na comunicação. O goleiro saiu da meta até depois da marca do pênalti para afastar. Errou a bola e acertou o rosto do centroavante. O zagueiro pouco incomodou o adversário, permitindo o cabeceio.

Terra arrasada? Pelo contrário. A reação veio aos poucos. Aos 19, dentro da pequena área, Léo Chú optou pelo passe para Ricardinho, que ficou à frente da linha da bola e não a alcançou.

Chú, aliás, terá de pagar a “caixinha” do vestiário na reapresentação. Ele levou dois cartões amarelos e foi expulso por simulação dentro da área, primeiro aos 33 e depois nos acréscimos finais.

Ferreira, mais uma vez um dos melhores em campo, foi cobrado incessantemente por Alexandre Mendes para diminuir o individualismo. Em algumas oportunidades, teve a opção de tocar ao companheiro, mas optou pela finalização errada.

Depois da insistência do chefe, Ferreira invadiu a área pela direita e rolou para Pedro Lucas marcar seu primeiro gol como profissional. O jovem de 18 anos fez algo que o técnico Renato Portaluppi sempre pede aos meias: pisar na área.

A equipe seguiu com maior controle da partida, rondando a área do Zeca e arriscando cruzamentos. Mas a zaga adversária se portou firme e impediu a alteração no placar.

– O atleta do Grêmio tem que estar preparado para a decisão, Libertadores, Copa do Brasil, Brasileirão, pela enormidade do clube. Ativamos ainda mais o entendimento dos jogadores para que eles possam saber o que representam. O jogador de futebol tem que saber o que representa. Dentro de tudo isso, (os jovens) estão dando uma boa resposta – comentou o auxiliar Alexandre Mendes.

Os guris do Grêmio voltam aos trabalhos nesta terça-feira no CT Luiz Carvalho. A próxima partida ocorre na quinta, diante do Juventude, em Bento Gonçalves, também pelo Gauchão. Será o último jogo antes do acréscimo de alguns jogadores do grupo principal.



Veja também