A vitória do Grêmio por 2 a 0 sobre o Cuiabá na quarta-feira confirmou a classificação nas quartas de final da Copa do Brasil e reafirmou o “novo” time para as decisões da temporada. O técnico Renato Portaluppi lidera o Tricolor pela quarta vez às semifinais da competição em cinco disputadas na atual passagem.

Em 2016, o treinador assumiu no meio da disputa das oitavas e levou a equipe ao título. Em 2017 e 2019, o Grêmio também chegou à semifinal, mas foi eliminado por Cruzeiro e Athletico, respectivamente. Em 2018, caiu nas quartas, para o Flamengo.

A classificação garante um fim de 2020 com decisões. O Grêmio enfrentará o São Paulo em jogos de ida e volta nos dias 23 e 30 de dezembro. Atualmente, são oito vitórias consecutivas e 11 partidas de invencibilidade.

— Lógico que a gente vive um momento muito bom, é uma crescente. Mas é trabalho. Há 30 dias, muita gente não acreditava no Grêmio. E o Grêmio está aí. Eu sempre confiei nos profissionais aqui dentro, no meu grupo, a gente não precisa provar nada para ninguém — apontou Renato.

Jogadores do Grêmio se reúnem antes de enfrentar o Cuiabá — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Jogadores do Grêmio se reúnem antes de enfrentar o Cuiabá — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Jovens mais uma vez são o segredo

O Grêmio recuperou o bom futebol a partir da escalação de Matheus Henrique, Jean Pyerre e Darlan juntos no meio-campo. Todos formados em casa e com qualidade técnica para manter a posse de bola e criar pelo chão.

Apesar do primeiro gol sobre o Cuiabá ter saído em cruzamento de Pepê para Diego Souza, este artifício tem sido menos usado pelo Grêmio. A presença de Jean e a construção trabalhada com a presença ora dos laterais, ora dos pontas pelo meio ajuda neste quesito.

O próprio centroavante tem saído mais da área para ajudar na troca de passes. Em determinado momento do jogo, chegou a ser o responsável por dar amplitude ao time pela linha lateral, com Everton e Victor Ferraz por dentro. Embora isso seja exceção e não regra.

O meio de campo formado pelos três jogadores da base é o caminho para as boas atuações. Mas a análise dos adversários também entra na roda para o técnico definir as alternativas na escalação. Lucas Silva pode aparecer em duelos mais “pegados”.A gente ganha muito na parte técnica. Mas há determinados jogos que a gente precisa de uma marcação melhor no meio. Para alguns jogadores jogarem, vai muito do que a gente precisa.— Renato Portaluppi

O desafio agora é conseguir manter a mecânica independentemente dos jogadores. Atrelar ao coletivo e não aos nomes e suas características. Mas também é fato que o Grêmio reforçou a confiança nesta nova escalação, com dois volantes mais leves e a presença de Jean Pyerre.

O elenco volta a treinar nesta quinta-feira. O próximo compromisso é no domingo, às 20h30, contra o Corinthians, na Neo Química Arena. Na semana que vem, começa a disputa com o Guaraní, no Paraguai, das oitavas de final da Libertadores.



Veja também