Tiago Nunes tem três jogos e três vitórias pelo Grêmio. A última por 2 a 1, na noite deste domingo, sobre o Caxias, pela ida da semifinal do Gauchão. À base de resultados positivos, o Tricolor mira a evolução proposta pela comissão técnica sem pressa, sustentada da defesa para o ataque.

O resultado veio em mais uma atuação sem nada de muito brilho, bastante sóbria e sólida do Grêmio. A equipe tem se firmado na defesa nestes primeiros passos sob nova direção e faz o suficiente para vencer. Com as vitórias, fica mais fácil consolidar o trabalho.

E, a partir daí, buscar repertório. O próprio treinador admitiu que é preciso aumentar o leque de jogadas. Mas cita isso como um passo futuro.

– Passo a passo vamos evoluindo, criando mais repertório para a equipe se portar bem a maior parte do tempo. Lógico que temos que considerar o adversário que condiciona nossos movimentos e o tipo do jogo – comentou Tiago Nunes.

Diego Souza comemora gol pelo Grêmio diante do Caxias na semifinal do Gauchão — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Diego Souza comemora gol pelo Grêmio diante do Caxias na semifinal do Gauchão — Foto: Lucas Uebel/DVG/Grêmio

Na vitória de domingo, o Tricolor teve mais posse de bola, mas muito mais se defendeu com ela do que foi agressivo. Por exemplo, até próximo dos 15 minutos do segundo tempo, Thiago Santos tinha 37 passes completos, Matheus Henrique, 27, e Jean Pyerre, 26. Antes, quando o trio conseguiu se comunicar no campo ofensivo, saiu a jogada do primeiro gol.

Mas, no geral, o Grêmio mais ficou com a bola nos pés para evitar problemas. Geromel deu 100 passes completos, e Ruan, 97. Quase 200 dos 668 da equipe no jogo.

Os dois zagueiros também são esteio para voltar o jogo e não arriscar perder a bola. Sem arriscar tantos passes verticais ou acelerar mais o jogo. A circulação mais rápida da bola é um dos pontos para avançar na criação pelo centro.

– O Grêmio fez um jogo de posse maravilhoso, conquistou títulos, tinha jogadores que tinham característica de buscar a bola e criar volume, que davam tempo para chegar na entrelinha, na área adversária. Temos jogadores mais verticais, não são atletas na bola do pé, da combinação – explicou Tiago Nunes.É achar o equilíbrio como equipe, de potencializar o que já tem de bom. Penso em uma equipe que tenha capacidade de entender o momento, jogar mais atrás, na frente, mas isso só com o tempo, repetição.— Tiago Nunes

Diego Souza e Ferreira comemoram gol do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Diego Souza e Ferreira comemoram gol do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

As mudanças, embora a intenção de continuidade no trabalho, não são simples. O gol sofrido, por exemplo, é um claro reflexo ainda de uma troca de estilo na marcação nas bolas paradas. Isso já ocorreu contra o Ypiranga.

O que melhorar

Cortez não atacou a bola e, por isso, Marlon conseguiu se antecipar para empatar. Tiago Nunes disse que foi um “acidente”. Mas Brenno evitou o gol do Caxias em outro lance de bola parada, quando Thiago Sales tomou a frente de Thiago Santos e subiu sem ser incomodado para cabecear.

Esse talvez seja o ponto defensivo que a comissão mais precisa atacar. De resto, o Grêmio tem sido sólido, tem se resguardado e arrisca pouco.

É possível até ver isso nas trocas de Tiago Nunes: os escolhidos geralmente são jogadores experientes – entraram Maicon, Lucas Silva, Churín, Luiz Fernando e Vanderson no segundo tempo, só este último oriundo da base.

Na frente, as chances estão vindo a conta-gotas. Ferreira furou em bola após erro da defesa, em lance fortuito. Depois, Diego Souza perdeu uma oportunidade criada após pressão de Ferreira pela esquerda, antes do primeiro gol. E Maicon, no segundo tempo, perderia a melhor chance criada com bola no chão, cara a cara com Pitol.

O gol da vitória sairia em um pênalti sofrido por Ferreira. Lucas Silva fez o lançamento longo na área. Matheuzinho pisou no pé de Ferreira ao tentar chegar na marcação, a arbitragem viu o lance no vídeo e Diego Souza converteu.

Os três bons resultados, este último inclusive com caminho bem encaminhado para uma primeira final, dão a tranquilidade para Tiago Nunes colocar em prática os ajustes previstos. A impressão é que tudo tem sido bem calculado para sair conforme planejado.

Nesta segunda-feira, o elenco volta a treinar no CT Luiz Carvalho. Na quinta, encara o Aragua, pela Sul-Americana, na Arena. E no próximo domingo recebe novamente o Caxias, em casa, para a segunda semifinal.



Veja também