Oito minutos foi o tempo em que o Grêmio desabou de candidato ao título do Brasileirão para ter que correr atrás do G-4. No último domingo, o Tricolor perdeu o Gre-Nal de virada por 2 a 1 e agora está a 11 pontos do líder Inter e a três do Atlético-MG, quarto colocado.

Muito além do fim da invencibilidade de 11 clássicos que detinha, o Grêmio deixou escapar a chance de ouro de colocar fogo na briga para ser campeão brasileiro.

O primeiro balde de água fria na tarde quente do Beira-Rio veio com Geromel, que caiu de mau jeito, saiu com dores no tornozelo esquerdo e deu lugar a Rodrigues no primeiro tempo. O jovem até tentou, mas não conseguiu manter a segurança defensiva ao lado de Kannemann diante das investidas de Yuri Alberto.

Jean Pyerre marcou o gol que não foi suficiente para vitória do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Jean Pyerre marcou o gol que não foi suficiente para vitória do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Após pouco mais de uma hora de bola rolando, os times retraídos, enfim, se colocaram frente aos riscos. Tudo começa a mudar quando Renato decide fazer três alterações.

Em uma delas, tirou Pepê, que tem deixado a desejar desde as notícias sobre o interesse do Porto em seu futebol. Três minutos depois das trocas, o Grêmio já crescia de produção e chegava ao gol. Em contra-ataque rápido iniciado por uma roubada de bola de Diogo Barbosa, Diego Souza serviu Jean Pyerre para marcar.

Era, inclusive, uma redenção para o camisa 10. Na última sexta-feira, o Grêmio chegou a emitir uma nota sobre a presença do jogador em uma festa, sem máscara.

A série de Gre-Nais invictos parecia aumentar para 12 jogos, conforme o relógio passava e nenhuma criava chances de perigo. Até a derrota vir em três atos fatais, além de polêmicas.

O primeiro momento da derrocada gremista ocorre aos 44 minutos. Cuesta aparece livre, como um volante pela esquerda, e cruza para a área. Quatro colorados disputavam a bola contra três gremistas. Melhor para Abel Hernández, que aproveitou o vácuo entre Kannemann e Diogo Barbosa e empatou.

Cerca de dois minutos depois, Ferreira caiu na área após uma disputa com Nonato e o árbitro Luiz Flávio de Oliveira mandou seguir. Até parou para escutar o VAR, mas manteve sua decisão.

Grêmio reclamou de pênalti de Nonato em Ferreira — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Grêmio reclamou de pênalti de Nonato em Ferreira — Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Encurralado, o Grêmio se viu atado aos cruzamentos do Inter. E num deles – provavelmente seria o último do Gre-Nal – Edenilson cabeceou a bola no braço de Kannemann. Pênalti para o rival.

— O cara do VAR achou que foi pênalti. Ele conseguiu na decisão, porque o árbitro não foi ver o VAR, digamos assim acabar com o Campeonato Brasileiro. Acabou. Porque quatro ou cinco grandes equipes poderiam disputar o título brasileiro ainda. Mas por causa dessa palhaçada já não sei. Só o presidente autorizar e a garotada (time sub-23) vai jogar na próxima quinta-feira — criticou Renato.

Desde Renato até os reservas, o Grêmio reclamou e pediu para o juiz consultar o VAR. Novamente, ele escutou o árbitro de vídeo e não mudou sua marcação. Edenilson, então, decretou a derrota gremista.

— Não somos nós os responsáveis pela arbitragem brasileira. Os erros do Grêmio são por uma situação como esta. Uma injustiça da arbitragem praticamente nos retirou de qualquer condição de disputar um título nacional através do Campeonato Brasileiro — comentou o presidente Romildo Bolzan Júnior em entrevista após o clássico.

A derrota não representa apenas o fim da invencibilidade em Gre-Nais para o Grêmio, mas também um quase adeus ao título brasileiro. Em sexto lugar com 51 pontos, a distância de 11 para o líder Inter parece inalcançável.

Está a três pontos do Atlético-MG, quarto colocado e último da fila para entrar diretamente na fase de grupos da Libertadores de 2021. A disputa por um lugar no G-4 se desenha o objetivo mais possível. Claro, se não vencer a Copa do Brasil contra o Palmeiras.

Também, muito além dos 15 empates – o recordista na competição -, o Tricolor segue sem vencer seus confrontos diretos do G-6.

Terá a remota chance de reacender uma fagulha de esperança aos torcedores caso vença o Flamengo na próxima quinta-feira, na Arena, em jogo recuperado da 23ª rodada. O elenco se reparesenta nesta segunda-feira, às 16h, no CT Luiz Carvalho, para recolher os cacos da derrota e seguir em frente.



Veja também