A derrota para o Sport não é definitiva. Não deixa o Grêmio muito pior do que já estava dentro da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Mas o 2 a 1 sofrido dentro da Arena, na volta da torcida, é o símbolo de uma caminhada que até pode não acabar na Série B, mas passa toda a imagem que toma esse rumo. A briga dá toda pinta que será até os últimos minutos do Brasileirão.

Pela terceira vez na competição, a segunda seguida, o Tricolor poderia deixar o Z-4. Uma simples vitória daria essa condição. Ora, do outro lado havia um dos dois únicos clubes com menos pontos que o Grêmio, o 18º, na tabela. Mas, como contra Corinthians e Athletico, nova derrota.

O Sport não fazia gol há mais de 800 minutos e tinha só três vitórias em 23 partidas. Além disso, vive uma crise institucional, com mudanças na diretoria e possibilidade de perda de pontos.

Não há nesse texto nenhum menosprezo ao Leão. Mas o Grêmio fez um total de ZERO pontos contra o Rubro-Negro, adversário direto na briga contra o rebaixamento – o Sport chegou a 20 contra 22 pontos dos gaúchos. Dos 10 gols marcados pelos pernambucanos no Brasileirão, três foram no Tricolor. Das quatro vitórias, duas em cima dos gremistas.

– Na semana, vejo muita vontade, trabalho, dedicação. Quem sabe a ânsia de sairmos desta situação nos faz cometer um ou outro erro durante o jogo – reconheceu Felipão.

A derrota para uma equipe nesta realidade, para muitos tida como no caminho sem volta da Série B, simboliza o mesmo. O Grêmio ainda tem condições e aproveitamento para sair da zona de rebaixamento. Mas perder nessas condições passa a mensagem de que todo o esforço será em vão em dezembro.

O primeiro tempo foi de um Grêmio intenso e em cima do adversário nos primeiros 30 minutos. Mas sem conseguir criar grandes chances. A melhor foi em cruzamento de Villasanti desperdiçado por Borja. Aliás, bolas alçadas na área seriam a grande jogada gremista.

O domínio do Grêmio não se traduziu em perigo. Basta olhar o vídeo com os melhores momentos, no topo do texto, para perceber que Chapecó trabalhar mais que Maílson. Logo na volta do intervalo, o goleiro do Tricolor dá rebote em falta de Hernanes. Guilherme Guedes não acompanha Gustavo e o primeiro gol da partida ocorre.

Felipão tentou corrigir a dificuldade de atacar com a entrada de Campaz. O colombiano individualmente esteve bem, levou perigo em finalizações e foi um acréscimo, mas como um todo, o time não funcionou.

A procura era sempre por alguém no lado para levantar a bola para a área. Em uma dessas situações, Borja cabeceou e Maílson desviou à queima-roupa. Thyere, em cima da linha, completou para tirar o gol.

– Colocamos o Alisson saindo pelo meio, fazendo uma série de situações para que o Sport tivesse dificuldades. Não ocorreu como contra o Ceará. O erro não foi o Alisson, mas no conjunto. De todos nós. Temos que rever coisas. Os jogadores e eu conversaremos e tentaremos montar uma situação nova, diferente, diante do Cuiabá para tentar cometer menos erros e criar mais oportunidades – apontou Felipão.

Grêmio só criou pelo alto — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Grêmio só criou pelo alto — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

O segundo gol sofrido vem em uma tentativa de arrancada de Douglas Costa. Com a faixa de capitão no braço e no reencontro com a torcida, o camisa 10 tentou assumir o protagonismo da equipe. Mas esteve claramente ansioso em dar uma boa resposta rápido. Faria o seu primeiro gol, um golaço, mas antes perdeu a bola que resultou no gol de Mikael.

O Grêmio precisa encontrar uma maneira de atacar melhor, mas sem perder o equilíbrio na marcação. O rendimento do setor ofensivo ainda é pobre e depende de lampejos dos atlets. A tarefa de Felipão é fazer que o time consiga gerar mais situações na partida para não sofrer tanto.

Tem quem já tenha jogado a toalha entre os torcedores. O Grêmio deu total razão a todos esses ao perder para o Sport dentro da Arena. Deixar o Z-4 ainda é possível na próxima quarta, contra o Cuiabá, novamente em casa. E escapar também é, embora tarefa árdua. Mas a mensagem passada na noite de domingo sem dúvida foi das piores possíveis.



Veja também