É bem verdade que a vitória do Grêmio por 3 a 0 sobre o Brusque, em linhas gerais, não teve muito valor, visto que o resultado da noite desta quinta-feira, pela última rodada da Série B, não mudaria em nada a situação prática do time no campeonato. Há duas rodadas o acesso já estava garantido, embora a vice-liderança estivesse em jogo. Mesmo assim, há pontos a destacar.

A partir de agora, o 2023 do Grêmio começa a ser desenhado. Além da permanência ou não de Renato Portaluppi, o elenco tricolor sofrerá mudanças na fotografia, mas alguns jogadores têm contrato vigente e usaram a reta final da Série B para tentar aproveitar as oportunidades. A última partida teve atuação para deixar ao menos uma boa impressão na despedida, embora contra um rival já rebaixado.

Em especial, Gabriel Silva. O jovem sequer havia sido utilizado por Renato até o jogo contra o Tombense, quando foi titular e fez um dos gols do empate. Diante do Brusque, deixou sua marca duas vezes, o segundo um belo gol. Aos 20 anos, o meia é dos que possui contrato mais longo com o clube, até 2025.

Outro jogador que tirou proveito da partida, embora com clima de “fim de festa” na Arena, foi Guilherme. Para ele, porém, a vitória teve um gosto especial, com alívio misturado. Foi no último jogo do ano que o atacante finalmente desencantou, já em sua segunda passagem no Grêmio.

O camisa 11 abriu caminho para o triunfo derradeiro na Série B com uma jogada de característica sua, como ele mesmo ressaltou após o jogo. O ambiente mais leve na Arena, somado ao gol, fez com que Guilherme deixasse o campo sob aplausos da torcida.

Por falar em aplausos, a despedida gremista de 2022 também rendeu o reconhecimento de torcedores a atletas comumente marcados por críticas, casos de Campaz e Diogo Barbosa. O colombiano teve bons momentos na partida e participou ativamente do setor ofensivo.

– No momento que traz alguém de lá que não está adaptado precisa de um período para se adaptar. Qualidade ele tem, mas jogou muito pouco comigo. É difícil avaliar no momento que não joga – destacou Renato após a partida.

Já o lateral-esquerdo, que encerra a temporada como titular, compôs na defesa e apoiou no ataque de maneira elogiada por alguns tricolores na Arena. Tanto ele quanto Campaz, ao menos por tempo de contrato, podem permanecer em 2023.

No entanto, é óbvia a necessidade de reforços. O Grêmio que finda 2022 deverá acrescentar peças para o que desejar na próxima temporada, em especial na elite, para evitar novos sofrimentos.

– O torcedor do Grêmio no último ano sofreu bastante. O torcedor se acostumou a ganhar. Para ganhar títulos precisa de um grupo forte. Será que tem alguém que vai falar que o Grêmio não precisa de reforços? Esse cara deve ser mágico. O próximo presidente, seja o Guerra ou o Odorico, tem que pensar grande – alertou Renato.

Renato Portaluppi e jogadores do Grêmio após jogo contra o Brusque — Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Renato Portaluppi e jogadores do Grêmio após jogo contra o Brusque — Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Não vamos nos enganar, o grupo do Grêmio precisa de reforços. Antes de chegar eu via vocês falando que o grupo era fraco. Temos bons jogadores aqui. Agora, é óbvio que alguns precisam sair para outros chegarem.

— Renato Portaluppi

Claro que, dentro das opções, uma convicção é que o comando técnico tem um nome escolhido, e que já está em Porto Alegre. Renato deseja ficar, os dois presidenciáveis o querem, mas tudo será desenrolado após 12 de novembro, quando o Grêmio terá um novo mandatário.

Por ora, a temporada termina com o objetivo principal alcançado, de voltar à elite do futebol nacional. E tudo passa a ser 2023. O elenco apresenta algumas opções, mas a ideia é clara de manter o treinador e reforçar o elenco na busca por retomar dias melhores na Série A.



Veja também