Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Após cinco jogos e mais de um mês, o Grêmio deu fim ao jejum de vitórias com o 2 a 0 sobre o Novorizontino, diante da sua torcida. O resultado era a principal missão do time e traz alguma paz ao técnico Roger, que viveu as últimas semana sob pressão e agora começa a ganhar mais estabilidade para evoluir.

A partida da noite desta terça-feira confirma alguns discursos da diretoria e comissão técnica, após o empate contra o Vasco, a respeito da mudança de atitude, virada de página e entendimento da Série B. A vitória deixou o Grêmio em quinto, com 17 pontos.

O desempenho contra o Novorizontino ainda está longe do esperado, mas desta vez, o resultado era mais importante do que a apresentação. E veio com um jogo seguro, sem maiores sustos.

Da sequência sem vitórias, sendo uma derrota e quatro empates, apenas um jogo, contra o Criciúma, foi na Arena. A série gerou instabilidade e colocou em xeque o trabalho de Roger.

Para o treinador, o 2 a 0 muda a perspectiva. O que era ruim passa a ser visto de outro maneira e vira uma sequência de invencibilidade. A última vitória havia ocorrido no dia 30 de abril, sobre o CRB.

– O ambiente interno sempre buscamos deixar tranquilo. Não podemos blindar totalmente. A ansiedade externa nos pressiona, fez com que tomemos decisões não adequadas. Então a vitória é importante para voltar a vencer, agora temos cinco jogos de invencibilidade, muda a linha de raciocínio do que estávamos sofrendo. Foi um jogo no mesmo nível do Vasco, competimos muito, criamos oportunidades, sofremos pouco. Nos dá tranquilidade para continuar trabalhando – explicou Roger

Missões cumpridas

Apesar de ainda não aliviar totalmente a pressão, afinal, o Tricolor segue fora do G-4, o Grêmio dá primeiro passo para buscar a regularidade e emendar resultados positivos no campeonato. Pode se perceber que o clima interno mudou com o placar favorável. O que antes parecia um ambiente de tensão deu lugar à descontração.

A necessidade da vitória, independente da forma que fosse, ficou clara nas manifestações dos jogadores após a partida. O ge já havia mostrado que essa era a prioridade interna no clube. Na zona mista, todos trataram o resultado quase como uma obsessão e ressaltaram que isso traz tranquilidade seguir na competição.

Hoje tinha que ser de qualquer jeito, tinha que buscar essa vitória. Foram dias difíceis.

— Elkeson, atacante do Grêmio

Muda o clima né, é bom retornar o clima das vitórias. Agora vamos procurar manter.

— Gabriel Teixeira, atacante do Grêmio

A gente precisava vencer. Por mais que não tivesse perdido. Era um dia importante

— Diego Souza, centroavante do Grêmio

Grêmio comemora vitória na Série B — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio comemora vitória na Série B — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Voltar a vencer, aliviar pressão e dar tranquilidade para trabalhar eram metas a curto prazo alcançadas na vitória contra o Novorizontino. O jejum de mais de 360 minutos sem balançar as redes na Série B também foi encerrado. Agora, o Tricolor põe o G-4 na mira, embora o discurso seja de minimizar presença no grupo por enquanto.

O Grêmio segue na quinta posição da Série B, mas ao mesmo tempo não se afastou do pelotão de cima, pois está há um ponto do Sport, que tem 18 pontos. O Leão enfrenta o Bahia nesta quarta-feira.

A vitória na próxima rodada também passa a ser uma obsessão dos jogadores, para, aí sim, caracterizar uma virada de chave, principalmente na confiança da torcida e dos próprios jogadores. Roger, Dênis e jogadores citaram, mais de uma vez, a palavra “tranquilidade”, fruto da vitória do Novorizontino.

Ajustes da equipe

A defesa do Grêmio já não é mais problema e Roger parece ter definido o 3-5-2 como novo esquema. Justiça seja feita, a equipe já sofria poucos gols quando tinha a linha de quatro defensores atrás. No momento, o dilema tricolor está na criação e resolução das jogadas.

Grêmio volta a vencer na Série B — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio volta a vencer na Série B — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Durante o primeiro tempo do jogo contra o Novorizontino, o time até criou jogadas, mas em alguns momentos foi possível notar a dificuldade para encontrar os espaços quando a bola chegava no meio. Mais de uma vez Thiago Santos ou Bitello receberam a bola com o dever de dar um passe que “quebra” linhas.

Tudo se encaminhava para um 0 a 0 na etapa inicial quando o árbitro de vídeo chamou Savio Pereira Sampaio para a revisão de um lance na área. Geromel tocou para trás e Rodolfo estava com o braço aberto. Pênalti assinalado e convertido por Diego Souza.

O lance caiu do céu, porque o Grêmio apresentava até ali dificuldades ofensivas, apesar de dominar o jogo e criar nos primeiros 20 minutos. E sem a bola na rede, a dificuldade poderia aparecer ali na frente.

Janderson, com características bem diferentes, entrou no lugar de Benítez e foi um dos principais escapes de velocidade da equipe. Apesar não ser um primor técnico, o atacante criou algumas jogadas e em uma das chances que teve balançou a rede.

Nesta quarta-feira os jogadores ganham folga e iniciam a preparação para próxima partida na quinta-feira. Grêmio volta a campo na próxima segunda-feira, no dia 13, contra o Sport, na Ilha do Retiro. Muito mais leve para este confronto direto, mais um, na tabela.



Veja também