A manhã de domingo reservava grande expectativa para o Grêmio. O Tricolor voltaria a jogar após mais de 10 dias de treinos com Felipão, um período inédito para o técnico. E mesmo ainda longe de uma grande exibição, o time fez o suficiente para vencer o Ceará por 2 a 0 ao natural e dar sinais de evolução na briga para escapar do rebaixamento.

A vitória gremista veio sem maiores sofrimentos, embora também sem gerar empolgação. Foi um jogo sóbrio do Grêmio em um momento que o resultado era essencial pelas vitórias de Cuiabá, América-MG e Chapecoense na rodada. O Tricolor ficou na 18ª colocação, com 19 pontos, dois atrás do América-MG e três de São Paulo e Bahia, os rivais logo acima na tabela.

– Fizemos o jogo calculado. Marcamos pressão no primeiro tempo, mais forte. No segundo, um pouco mais baixa. Mesmo com todo o trabalho, um jogo às 11h, há dificuldades. O Ceará nos atacou, mas, no máximo, teve duas oportunidades. O jogo se desenhou de uma forma boa no primeiro tempo e também no segundo, em função do resultado – destacou o técnico após a partida.

A consistência do time de Felipão aumentou com o período de treinos, mas as expectativas antes de a bola rolar eram distintas. As escolhas do técnico chamaram atenção dos torcedores, com Kannemann e Campaz no banco de reservas por opção técnica, por exemplo.

Grêmio vence o Ceará na Arena — Foto: Eduardo Moura

Grêmio vence o Ceará na Arena — Foto: Eduardo Moura

Mas o fato é que Gabriel Chapecó pouco trabalhou no jogo. A linha defensiva do Grêmio controlou o sistema ofensivo do Ceará, que só levou perigo em uma cabeçada de Cléber já no final. Lucas Silva, no meio, teve outra boa atuação ao lado de Thiago Santos.

O ataque tem sido o problema do Grêmio nos últimos jogos. Ainda não houve uma melhora significativa, mas o time já mostrou sinais de uma ligeira evolução. O gol de Diego Souza, por exemplo, ocorreu depois de uma troca de passes mais longa, com inversão de lado da jogada. A bola chega na esquerda para Alisson colocar na medida para o centroavante cabecear.

Já o segundo gol apareceu também dentro do estilo de Felipão. Rafinha conseguiu evitar uma saída de bola no campo defensivo, em ataque do Ceará. A jogada foi para a direita com cruzamento de Vanderson, mas acabou no lado esquerdo nos pés de Ferreira, que finalizou com precisão para ampliar.

Isso em um momento que o Ceará conseguia avançar um pouco mais no campo ofensivo e rondava a área do Grêmio. Aliás, o Vozão começou melhor, com a marcação avançada, mas logo o Tricolor assumiu o controle do jogo e ditou o ritmo.

O Grêmio ainda criou outras duas oportunidades, com Ferreira. Na segunda etapa, a prioridade era fazer o relógio passar sem se desgastar tanto e diminuir o ritmo. Mas, ainda assim, o Ceará gerou poucas situações para finalizar com perigo. O nível ainda não é o esperado, mas já um alento para os tricolores na briga contra o rebaixamento.

Os dois próximos jogos do Grêmio serão contra o Flamengo. Primeiro, na quarta-feira, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, às 21h30. Depois, no domingo, às 20h30, pelo Brasileirão. As duas partidas serão no Maracanã.



Veja também