A vitória de virada por 2 a 1 sobre o Aimoré mantém o elenco principal do Grêmio com 100% de aproveitamento no Gauchão. Os números não mentem, o começo de temporada é bom. Não à toa, é o líder da competição. Mas apesar dos pontos conquistados, o rendimento em campo ainda gera preocupação.

É bem verdade foram só dois jogos com titulares. Além disso, como é sempre lembrado nas entrevistas coletivas, o Tricolor ainda está em pré-temporada. Mas tecnicamente o Grêmio ainda não empolgou, mesmo com as vitórias em sequência. E o empolgar aqui não significa encantar e golear todo mundo. Mas minimamente dominar o adversário, se sobrepor e criar com frequência. Mostrar algo que faça pensar que pode ser repetido e aprimorado durante o ano.

Os motivos talvez sejam ainda as dificuldades naturais em um início de temporada. Mas o Grêmio tem apresentado futebol muito semelhante rodada após rodada. E deixa bom rendimento apenas para partes das apresentações.

Além de observar as opções do elenco, o time alternativo contra o Aimoré serviu para descansar os principais jogadores para o jogo com o Juventude no domingo.

Análise: Grêmio aciona titulares para se manter líder, mas ainda procura melhor versão para 2022Porém, o desempenho forçou o treinador a apelar para os titulares – Ferreira e Bruno Alves entraram no intervalo e Janderson e Diego Souza aos 20 da etapa final. Foi o que mudou o cenário da partida.

– Com a entrada dos outros quatro jogadores, a equipe ganhou corpo, onde tinha que ter frieza para conseguir o empate e a virada – admitiu Mancini.

Os resultado chegam e facilitam também todo o processo. É mais fácil produzir mais e corrigir situações como líder do Gauchão. Mas aos poucos é preciso ver um time que sofre menos dentro de campo.

O gol sofrido saiu em uma combinação rápida do Aimoré pelo lado direito de defesa do Grêmio após cobrança de lateral. Uma desatenção, portanto, em falha coletiva. Mas o primeiro tempo mostrou o Aimoré muito mais presente próximo da área gremista do que o contrário.

Vagner Mancini, técnico do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Vagner Mancini, técnico do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O Grêmio dá algumas pinceladas em conceitos que precisam encher cada vez mais a tela. O gol de empate de Villasanti, por exemplo, sai em uma roubada de bola no campo ofensivo, após pressão alta. Mas pouco reproduzida no jogo todo. Já o segundo tem origem em Benítez, que recuou para encontrar passe longo para Nicolas. Uma transição rápida pelo lado equerdo a partir de um passe improvável.

No meio, os volantes Fernando Henrique e Villansanti mostraram mobilidade a partir do momento que ficaram melhor suportados com a entrada de peças mais qualificadas no time. No entanto, a dupla Thiago Santos e Lucas Silva pode ser repetida no próximo compromisso.

Atrás do placar, já com o ataque titular e Benítez – que atuou os 90 minutos – na armação, Nicolas teve seu vigor físico testado ao ser acionado seguidamente. Duas foram efetivas e originaram os gols que da virada contra o Aimoré. O lateral-esquerdo talvez seja a grande notícia da noite.

A questão é que a equipe de 2022 do Tricolor ainda não cativou o torcedor. Ou deu a sensação de que está pronta para o que vai vir na temporada. Porém, há margem e tempo para correções e fazê-las ganhando e na ponta de cima da tabela, melhor ainda.



Veja também