A primeira derrota da era Tiago Nunes no Grêmio veio neste domingo, na estreia do Campeonato Brasileiro. O 3 a 2 sofrido para o Ceará, no Castelão, foi decidido em erros cometidos pelo próprio Tricolor, completamente evitáveis dentro do contexto da partida.

Sem, evidentemente, tirar os méritos do Ceará, que até criou para mais gols, especialmente no primeiro tempo. O Grêmio perdeu invencibilidade de 13 partidas, 10 delas sob o comando do técnico Tiago Nunes, afastado por contrair o coronavírus.

A última derrota do time havia sido na queda da terceira fase da Libertadores, para o Independiente del Valle, justamente quando o caminho se abriu para a chegada de Tiago.

O jogo de futebol é naturalmente formado de erros e acertos. Mas é possível listar três equívocos pontuais do Tricolor na derrota para o Vozão.

  • Escalação com Thiago Santos, Lucas Silva e Matheus Henrique no meio
  • Erro de Ruan no segundo gol do Ceará
  • Erro de Brenno no terceiro gol
Lucas Silva não funcionou na estratégia montada pela comissão — Foto: Lucas Uebel/ Grêmio FBPA

Lucas Silva não funcionou na estratégia montada pela comissão — Foto: Lucas Uebel/ Grêmio FBPA

O primeiro ponto é da comissão técnica. A escolha de Lucas Silva não privilegiou o jogo técnico do Tricolor. A intenção era dar avanço na entrelinha e bolas longas para virar rapidamente o lado das jogadas e conseguir, assim, superioridade.

Mas a escolha não funcionou – tanto que foi desfeita no intervalo. O auxiliar Evandro Fornari admitiu que o Grêmio não conseguiu nem marcar e nem jogar com a formatação. A característica de Lucas Silva não deu volume necessário no meio. Em um momento, com lançamento para Diogo Barbosa, a tentativa gerou um resultado prático.

— A gente pensou em iniciar com Thiago, Matheus e Lucas para que pudesse ter dois atletas entrelinhas. Como o Ceará marcava com duas linhas e mais dois, a gente procurou no primeiro momento sair com o médio de lado. O Lucas e o Matheus seriam os caras na entrelinha. No segundo tempo, preenchemos mais o espaço, aconteceu mais movimento do Chú, com apoio do Cortez, o Vanderson também. Mas ficamos com essa impressão do segundo tempo, que realmente mudamos nosso comportamento — explicou o auxiliar Evandro Fornari.

E, de quebra, Matheus Henrique também não rendeu tanto mais adiantado, apesar de ter qualidade para tal. As principais chances vinham em avanços rápidos com Léo Chú. O primeiro gol do Ceará saiu em jogada na entrelinha gremista decorrente da marcação alta.

Brenno chutou para frente, mas a bola voltou. Thiago Santos tentou antecipar Pedro Naressi, mas errou. Cléber dominou, fez o pivô e trabalhou por ali com Saulo Mineiro até receber de frente para o gol. O chute saiu fraco, mas desviou em Ruan e impediu qualquer chance de defesa para Brenno.

Aí, logo na sequência, veio um segundo erro capital no placar. Ruan tentou um chapéu em Cléber após a bola ficar viva no meio-campo. O centroavante ganhou no corpo, girou e acionou Naressi na velocidade. Em quatro toques na bola, gol do Ceará.

O lateral-direito Vanderson daria fôlego ao Grêmio no jogo com um golaço em iniciativa individual. Passou por dois marcadores com um bonito drible e tabelou com Matheus Henrique, este dentro da área.

Ruan esteve envolvido em lance do segundo gol do Vozão — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Ruan esteve envolvido em lance do segundo gol do Vozão — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Três mudanças no intervalo deixaram o Grêmio mais leve e mais protagonista no jogo. Jean Pyerre, Cortez e Jhonata Robert entraram nas vagas de Lucas Silva, Diogo Barbosa e Léo Pereira, respectivamente. E o Tricolor melhorou seu volume.

Em uma bola que ia pela linha de fundo mas foi salva por Vanderson na defesa, veio o empate. Léo Chú recebeu no campo defensivo ainda, protegeu e iniciou uma arrancada que só parou com o cruzamento, ao lado da área, e o toque de Ricardinho para o gol.

A partida transcorreu mais equilibrada para o Grêmio, com chances de gol desperdiçadas com Cortez e Chú pela esquerda e também com defesas decisivas de Brenno.

O goleiro caminhava para fazer mais um dos seus grandes jogos da temporada. Mas mostrou que a juventude ainda aparece — como no caso de Ruan. Ambos seguem o roteiro natural da oscilação e quem tem na aposta em jovens como política precisa cumprir esses percalços.

Gol do Ceará! Jorginho pega sobra, marca, e VAR confirma gol, aos 48′ do 2º Tempo

Em jogada rápida após cobrança de escanteio, Brenno pediu impedimento de Gabriel Lacerda. A bola se ofereceu para Jorginho após explodir na trave. E na hora da finalização o goleiro estava de costas para a jogada

Não muda nada da análise da temporada até agora do goleiro. Mas continuasse no lance ao invés de pedir impedimento, Brenno poderia ter impedido o terceiro gol.

A primeira derrota da era Tiago Nunes encerra a invencibilidade que vinha desde antes da chegada do treinador. Os 13 jogos sem perder, 10 deles com o comandante no banco de reservas.

Na próxima quarta, o Tricolor encara o Brasiliense, pela terceira fase da Copa do Brasil, na Arena. O elenco ainda treina nesta segunda-feira em Fortaleza e tem chegada prevista para o início da noite em Porto Alegre.



Veja também