Cerca de 40 minutos com um jogador a mais, outros 30 minutos com dois de vantagem. Mesmo assim, Grêmio não soube aproveitar as expulsões do Corinthians na noite deste domingo, “esqueceu” de fazer coisas básicas em um cenário como esse, algo dito pelo próprio técnico Renato Portaluppi, e acabou punido na tabela.

Havia a possibilidade de salto considerável para a quinta colocação, com pontuação de quarto, e ainda ter a ponta ao alcance. Tudo desperdiçado com o 0 a 0 na Neo Química Arena contra o Corinthians, um lapso em meio a boas atuações.

O Tricolor não passava um jogo sem balançar as redes desde o empate com o São Paulo, há mais de um mês. Aumentou a invencibilidade para 12 partidas, embora tenha interrompido a série de oito vitórias seguidas.

Com o empate, o Grêmio foi a 34 pontos e fica em oitavo. Poderia ter ido a 36, apenas três do Atlético-MG — e com um jogo a menos ainda por disputar. Chance de igualar, portanto, Galo e Flamengo, ambos com 39, embora com bem menos vitórias.Tínhamos que vencer a partida, sim. Levamos um ponto, mas poderíamos levar três. Poderíamos ganhar algumas posições, mas futebol é assim mesmo— Renato Portaluppi

Renato Portaluppi, técnico do Grêmio — Foto: Marcos Ribolli/ge

Renato Portaluppi, técnico do Grêmio — Foto: Marcos Ribolli/ge

O técnico Renato Portaluppi tentou ver o copo “meio cheio” e valorizou o ponto conquistado por ficar perto dos líderes. Mas a verdade é que as expulsões fizeram o Grêmio tropeçar nas próprias pernas. Apesar de 68% de posse de bola, foram 14 finalizações, sendo oito para fora. O Timão fez 28 desarmes contra só 15 do Tricolor.

Marllon recebeu cartão vermelho aos 30 do primeiro tempo. Foram 20 minutos da etapa inicial e outros 20 do segundo tempo com um a mais. E nenhuma oportunidade criada. Otero também seria expulso, aos 20 do segundo tempo. Outros 30 minutos agora com dois jogadores a mais. E uma mísera chance dentro da área de Cássio, em chute para fora de Pepê em bom passe de Diogo Barbosa.

Antes do Corinthians se fechar, o Grêmio teve Luiz Fernando na cara de Cássio duas vezes e Diego Souza em cabeceio perigoso. Fora uma cobrança de falta de Jean Pyerre próxima da trave. Tudo no primeiro tempo, todos lances criados antes da expulsão.

— Faltou um pouquinho de criação, e olha que coloquei quase todos os jogadores em campo. Faltou Tranquilidade, ultrapassagens, fazer jogada de um lado e virar rápido para pegar o adversário aberto. Deixamos de fazer isso. Às vezes tem um a mais, aí alguém pensa que não precisa mais ultrapassar, correr. E futebol não é assim. Cruzamentos longe da área, não foi o que pedi. Com dois atacantes bons de cabeça, tínhamos que trabalhar mais pelos lados — analisou Renato.

Quando se tem mais gente em campo, há algumas coisas já batidas para se fazer. Para abrir o adversário fechado, é preciso ter paciência, girar o lado do jogo rapidamente e arriscar. Além disso, movimentação constante para que a superioridade númerica esteja sempre próxima da bola.

Jean Pyerre atuou longe da área em empate — Foto: Lucas Uebel/Gremio

Jean Pyerre atuou longe da área em empate — Foto: Lucas Uebel/Gremio

Isso evita cruzamentos para a área despropositados. Ao final do jogo, por exemplo, o time passou a levantar a bola sem objetivo. Diogo Barbosa e Victor Ferraz recebiam pelos lados, mas sem ninguém a se aproximar para tabelar. Sem desmarques para criação de espaços. Sem movimentos para tirar o conforto do adversário.

Tudo isso reconhecido por Renato. O treinador mesmo admitiu que faltou uma série de comportamentos para o time sair com a vitória em São Paulo. O próprio também tem alguma dose de responsabilidade. Há, também, claro, o mérito do Corinthians em saber se defender.

Jean Pyerre virou volante para deixar Pinares próximo da área. Churín e Diego Souza atuaram juntos, em determinado momento sem lateral-direito em campo. Mas ainda assim sem conseguir um mísero espaço para finalizar. Isso aliado a jornadas ruins individuais, como Pepê e Diego Souza.

— Se ver no primeiro tempo, estava cobrando que o Jean estava recuando muito. Temos a qualidade dele na saída, mas prefiro que ele jogue próximo do gol. Pedi para virar bastante o jogo, coloquei o Pinares que tem uma qualidade grande, se aproxima do Diego e tem visão de jogo. Procuramos fazer a combinação dos dois para dificultar a marcação. Não adianta espetar os meias perto da área — explicou.

Amarrado pelo Corinthians, o Grêmio lamenta, mas não se frustra. Até porque o Cornthians ainda teve lance para fazer seu gol, mas Vanderlei acabou por salvar os gaúchos.

A delegação gremista vai ficar em Sâo Paulo e viaja na terça-feira para Assunção, onde encara o Guaraní na próxima quinta, no Defensores del Chaco, às 21h30, pela Libertadores.



Veja também