O sucesso recente do Grêmio está intimamente ligado ao apoveitamento da base. Neste sábado, a receita voltou a acontecer no gramado da Arena. Com um meio-campo leve e recheado de jovens formados no clube, o Tricolor bateu o Ceará por 4 a 2 em uma atuação convincente. Soluções para problemas anteriores do time.

O primeiro tempo, especialmente, foi de um domínio absoluto dos gaúchos. Tanto que o Grêmio marcou três gols em 45 minutos, algo que não ocorria desde 26 de setembro do ano passado, na goleada por 6 a 1 sobre o Avaí, também pelo Brasileirão.

Hoje o Grêmio tem 33 pontos e é o 7º com um jogo ainda por disputar, um atrás do Santos, o sexto, que tem um compromisso a mais. O Atlético-MG é o líder, com 38 e o mesmo número de partidas do time gaúcho. A distância para a ponta já foi de 13 pontos, quando o Inter tinha 34, na 17ª rodada, e o Grêmio, 21. Agora está em cinco pontos na 21ª rodada.

— O mais importante é que o Grêmio vem subido de produção, conseguindo vitórias, está chegando no pelotão da frente, é nosso objetivo. É continuar trabalhando. Muita gente lá atrás pensou besteira — disse Renato Portaluppi.

Jean Pyerre e Matheus Henrique comandaram vitória do Grêmio junto com Darlan — Foto: Eduardo Moura/ge

Jean Pyerre e Matheus Henrique comandaram vitória do Grêmio junto com Darlan — Foto: Eduardo Moura/ge

Jean Pyerre colocou o jogo sob as travas da sua chuteira e comandou o Tricolor. Mas teve em Darlan e Matheus Henrique seus fiéis escudeiros, todos formados no clube. Jean e Darlan, inclusive, no clube desde a Escola de Formação. Além do trio, Pepê também foi titular e formado no sub-20.

O Grêmio teve a bola e conduziu suas transições com muitos toques curtos e mudanças de posições. Luiz Fernando abria como ala para Victor Ferraz circular por dentro. Jean recuava e via Matheus ocupar a entrelinha. Pepê esteve livre para criar pelo meio também.

Até Diego Souza participou da criação fora da área. A postura do Grêmio se manter em cima do adversário é outra novidade. Jean Pyerre abriu o placar em cobrança de falta. Aqui, há um detalhe: o goleiro Paulo Victor deu a dica para o chute sair no lado de Fernando Prass. Deu certo. Isso aos 19 minutos.

Aos 32, o Grêmio ampliaria. Darlan, em pressão alta, forçou o erro da defesa — aliás, o volante teve seis desarmes no jogo, número mais alto do time. Jean Pyerre fica com a bola e, com calma, encontra Luiz Fernando. O cruzamento sai rasteiro para Pepê ir às redes.

Grupo do Grêmio comemora vitória — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Grupo do Grêmio comemora vitória — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Sete minutos depois, Diego Souza faria o terceiro. Jean Pyerre pressiona em uma bola viva pela direita de defesa do Grêmio. Ganha lateral e faz a cobrança rápida. Luiz Fernando faz a jogada individual e serve o centroavante. Antes, o Ceará havia descontado em chute de Kelvyn.

O Grêmio se aproveitou muito bem dos erros dos adversários. E, com velocidade, buscando sempre o gol de Prass. Além dos três gols na etapa inicial, por exemplo, houve também chances com Jean Pyerre, Diego Souza e Victor Ferraz.

Dentro da sequência de sete vitórias seguidas, o Grêmio tem no jogo com o Fluminense outra atuação também valorizada pelo técnico Renato Portaluppi. E, não por coincidência, com Darlan, Matheus e Jean Pyerre no time titular.Os três que jogaram contra o Fluminense são os mesmos que jogaram. E são da base do Grêmio. Mais uma prova do trabalho do profissional com a base. Enchem aos olhos. Jean voltando bem, Matheus há mais tempo, Darlan ninguém conhecia e é um grande profissional.— Renato Portalupp

Antes citado por Renato constantemente, o problema de articulação se resolveu com a volta de Jean, que, justiça seja feita, não tinha condições físicas para jogar. Não passa por Thacianos ou Robinhos, mas por jovens formados no clube.

Darlan foi o líder de desarmes do time — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Darlan foi o líder de desarmes do time — Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

A equipe diminuiu naturalmente o ritmo no segundo tempo para administrar a vantagem no placar. Mas o segundo tempo reservou o primeiro gol de Churín com a camisa do Grêmio. Em cobrança de escanteio curto, algo cobrado por Renato, Jean Pyerre colocou na cabeça do argentino.

No fim o Ceará ainda faria outro gol e teria a possibilidade de diminuir mais ainda, não fosse Vanderlei. Mas fica para o Grêmio o recado do que precisa ser feito a partir de agora e que a qualidade da formação é a solução dos problemas, quando eles surgirem.

O Grêmio folga neste domingo e volta a treinar na segunda-feira. Na quarta, encara o Cuiabá, no segundo jogo das quartas da Copa do Brasil. Pode até empatar que estará na semifinal.



Veja também