O Grêmio enfrenta nesta terça (29), às 19h15min, a Universidad Católica na Arena. O jogo que pode até valer a classificação antecipada para as oitavas de final da Taça Libertadores da América terá o retorno de quatro titulares. Um deles, é Alisson. O meia-atacante é uma das referências técnicas do grupo e um dos atletas que mais atuou em 2020. Segundo ele, o foco é no jogo contra os chilenos, mesmo que o próximo adversário seja o Inter no Brasileirão.

— Acho que, em primeiro lugar, temos que pensar jogo a jogo. Sempre de olho no próximo jogo. Amanhã nós temos um adversário muito difícil, que é a Universidad Católica. Se nós fizermos uma grande partida e conseguirmos um resultado muito difícil na nossa casa, nós conseguimos a classificação. O nosso pensamento é esse. Jogo a jogo para colocar o Grêmio nas oitavas de final da Libertadores — disse o atleta em entrevista coletiva.

Os chilenos ganharam sobrevida na competição graças ao triunfo contra o Tricolor. De acordo com Alisson, o Grêmio conhece a equipe adversária e está estudando os erros que cometeu fora de casa para que o resultado negativo não se repita.

— Acho que devido aquele jogo, eles impuseram um grande futebol contra nós. Precisamos melhorar para conseguirmos uma vitória conta eles. É uma equipe muito qualificada e bem treinada. Nos conhecemos as dificuldades e das que termos aqui amanhã. Tenho certeza de que estamos preparados. Vamos seguir estudando eles, para colocar em prática amanhã, para fazer uma grande partida. A gente sabe da importância da Libertadores para o Grêmio e a gente sempre entra forte para buscar o título — destacou.

Alisson disse que a Libertadores é uma obsessão do grupo, mas também dele individualmente. Afinal, o jogador chegou a disputar duas semifinais da competição e nunca conquistou este título.

Em 2020, ele é um dos jogadores que mais vestiu a camisa do Tricolor ao lado de Bruno Cortez. Sequência esta que fez com que ele fosse poupado na última rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Atlético-MG.

— É um momento muito feliz na minha carreira. Eu estou podendo ter uma sequência grande com a camisa do Grêmio no meu terceiro ano aqui. Depois da pandemia, fiquei de fora só de um jogo. Se dependesse de mim, eu jogaria sempre. Mas a gente sabe que também precisa de um descanso por causa do desgaste. Não é só no Grêmio, mas em todo mundo por conta da pandemia. Até pela rotina que a gente sempre tem, que é treinamento todo o dia. Infelizmente, a gente ficou muito tempo parado também e agora é um jogo atrás do outro. Não tem tempo para descansar. Não temos o descanso necessário que a gente necessita. Eu estou muito feliz, espero continuar ajudando meus companheiros. A gente está muito focado e trabalhando muito forte no dia a dia para alcançar nossos objetivos — projetou.

Por fim, o jogador preferiu não comentar maiores detalhes sobre a mudança de esquema recente no meio de campo de Renato. Segundo ele, o técnico tem plenas condições de realizar as mudanças da melhor maneira e o grupo pode se adaptar  às formações.

— Não somente o Alisson, mas todos os meus companheiros se doam ao máximo a cada jogo e a cada treinamento. Eu sempre entro em campo para dar o meu melhor, seja fazendo gol, marcando, de qualquer forma. O importante´e ajudar meus companheiros a conquistar nossos objetivos nas partidas, que é conseguir as vitórias. A gente vem trabalhando para isso. Independente da formação que o Renato optar a cada jogo, ele é muito inteligente e sabe escolher as formações de acordo com o adversário que a gente vai enfrentar. Independente da formação, eu quero dar o meu melhor ajudando. É isso que a gente tem em mente. A gente veste uma camisa muito grande, que é de um clube que vem conquistando títulos há quatro anos. Quero fazer história aqui dentro e conquistar títulos, é isso que nos deixa feliz aqui dentro — falou.



Veja também