Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Depois da derrota para o América-MG, o vice de futebol Denis Abrahão afirmou que era necessário “menos tique-taque” e mais “cara de Grêmio” para o jogo com o Bragantino, nesta terça-feira, na Arena. A fala do dirigente evidencia um time ainda à procura de identidade, situação que é comprovada pelos números de jogadores utilizados. Em sete partidas no comando, o técnico Vagner Mancini já escalou 26 jogadores diferentes.

O treinador tem tido, há algumas rodadas, que irá variar a equipe titular conforme à estratégia e o adversário. E ainda procura o melhor encaixe do time. Soma-se a isso a intenção de, agora, ser um time mais competitivo, conforme colocado pelo vice de futebol Denis Abrahão.

O Tricolor tenta encontrar sua “cara” para ter alguma esperança na briga contra o rebaixamento. A conta gremista é de buscar pelo menos cinco vitórias nos últimos sete jogos.

Dar satisfação ao torcedor na próxima terça e entrar com muita tesão e com cara de Grêmio e menos cara de tique-taque”— Denis Abrahão, após a derrota para o América-MG

Para a partida com o Bragantino até a tendência não é de grandes mudanças. Kannemann retoma a vaga na defesa. E Vanderson pode perder a vaga para Rafinha. No restante, a equipe deve se manter a mesma, ainda que alguns jogadores estejam marcados pela torcida.

– Não posso ter uma lista de jogadores que não podem atuar. Entendo o torcedor, faço coro, mas não posso ter uma lista que fulano não pode jogar, não pode entrar, senão terei 12 jogadores apenas. Tenho que dar oportunidade para que todos rendam o que sabem sob o meu comando. Não posso colocar um X nas costas de ninguém. Temos que salvar o Grêmio. Preciso de todo mundo – justificou Mancini.

Uma das novidades no grupo para o jogo é Victor Bobsin, que foi relacionado e pode ser utilizado pela primeira vez durante o jogo. Em contrapartida, Darlan, que ganhou as duas primeiras chances recentemente, ficou fora da lista.

Até o momento, Mancini só não utilizou seis nomes do grupo com o qual trabalha no dia a dia: Bobsin, Guilherme Guedes, Léo Pereira Fernando Henrique, Everton e Pedro Lucas.

Além, claro, do terceiro e quarto goleiros, Adriel e Felipe, e do lateral Leonardo Gomes, que, apesar de ter jogado pelo time de transição, vem de uma recuperação de lesão e dois anos sem atuar pelo time profissional.

Os jogadores usados por Mancini

  • Goleiros: Gabriel Chapecó e Brenno
  • Laterais: Vanderson, Rafinha, Cortez e Diogo Barbosa
  • Zagueiros: Paulo Miranda, Geromel, Ruan, Kannemann e Rodrigues
  • Volantes: Thiago Santos, Lucas Silva, Villasanti, Darlan e Mateus Sarará
  • Meias: Jean Pyerre, Campaz, Jhonata Robert e Alisson
  • Atacantes: Douglas Costa, Diego Souza, Borja, Elias, Churín e Luiz Fernando


Veja também