Diego Churín voltará a disputar uma partida no Paraguai a partir das 21h30 desta quinta-feira, no Defensores del Chaco, no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. Agora com a camisa do Grêmio, o centroavante é opção no banco de reservas e vai rever sua maior vítima na passagem pelo Cerro Porteño.

O centroavante argentino marcou sete gols sobre o Guaraní, inclusive os primeiros três dos 53 pelo Ciclón, em setembro de 2017. Seu conhecimento sobre o rival é mais um aliado na estratégia do Grêmio para tentar construir uma vantagem no jogo de ida.

– O Churín passou algumas coisas que conhece do Guaraní, jogou muito tempo aqui e conhece muito bem como o adversário joga. E vai passar algumas coisas importantes, até porque já fez gols e sabe muito bem o caminho das pedras – revelou o companheiro Diego Souza.

Churín em ação pelo Cerro contra o Guaraní — Foto: Divulgação/Cerro Porteño

Churín em ação pelo Cerro contra o Guaraní — Foto: Divulgação/Cerro Porteño

Duelo marcante em clássico

Em Assunção, Churín viveu seu momento marcante no clássico entre Cerro Porteño e Olimpia, na avaliação do ex-assessor de imprensa do clube paraguaio, Ruben Ramírez. O centroavante desperdiçou dois pênaltis. No segundo, o goleiro Aguilar caminhou na direção do argentino e ficou parado a poucos centímetros – uma espécie de encarada como os lutadores de UFC.

Mas a provocação não ficou por isso mesmo. O jogo seguiu, e Churín balançou as redes ao finalizar de dentro da área. O troco veio na comemoração: o argentino pegou uma bola, colocou sobre a linha da meta de Aguilar e sentou ali para receber os abraços dos companheiros.

A vitória por 2 a 0, em agosto, fez o Cerro abrir sete pontos sobre o rival e encaminhar o título conquistado no mês seguinte da Liga Apertura. Churín foi um dos protagonistas da conquista, com sete gols marcados em 18 jogos.

Figura marcante fora de campo

Churín também se destacou como figura fora dos gramados com a camisa do Cerro. Era acionado constantemente pelo departamento de comunicação do clube para participar de ações sociais e sempre foi solícito, diz Ruben.

O centroavante cumpriu o sonho de Salvador, um torcedor do Cerro com síndrome de Down, em vídeo do canal Hincha de Paraguay. A visita ocorreu no estádio Nueva Olla. O jovem era fã de Churín e, ao avistar o argentino, pulou para um abraço que envolveu o jogador até com as pernas.

– Diego é uma pessoa muito solidária e generosa. Principalmente com as crianças. Fizemos várias visitas a hospitais pediátricos e colégios – relembra Ruben.

Churín com torcedor do Cerro Porteño — Foto: Reprodução/El Hincha

Churín com torcedor do Cerro Porteño — Foto: Reprodução/El Hincha

Depois de um tempo de conversa, Churín perguntou quem mais o jovem gostaria de conhecer. Alguns jogadores já haviam passado pela área e ganho a saudação de Salvador. Mas faltava Haedo Valdez, nome conhecido da seleção paraguaia. Churín se encarregou de chamar o companheiro, que se juntou ao grupo e fez a felicidade do torcedor.



Veja também