Afastado do elenco principal por conta de um impasse na renovação de contrato, O atacante Ferreira entrou na Justiça contra o Grêmio para pedir de forma liminar a rescisão de contrato com o clube, além de uma indenização no valor de R$ 70 mil.

A justificativa é de que o Tricolor teria exercido pressão ao jogador para ampliar o vínculo sob pena de não entrar na lista da Libertadores. De fato, o atacante não foi inscrito na competição continental.

Ferreira (E) em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Ferreira (E) em treino do Grêmio — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

processo protocolado na Justiça do Trabalho. Em cerca de 30 páginas, a defesa do atleta alega “coação” do Grêmio ao empresário de Ferreira para assinar a renovação de contrato oferecida pelo clube. Inclusive, são anexadas mensagens de WhatsApp com diálogos do empresário Pablo Bueno com o executivo de futebol Klauss Câmara.

Ao fim da argumentação, os representantes do atacante pedem a “rescisão indireta do contrato de trabalho” com o time gaúcho. Ainda, pede um valor de R$ 70 mil ao Grêmio, a título de verbas rescisórios. O Grêmio tem cinco dias para se manifestar na Justiça.

Entenda o caso

No fim de fevereiro, Grêmio e o representante de Ferreira iniciaram conversas para a renovação de contrato do atacante, que se encerra em junho de 2021. As partes, no entanto, não chegaram a um acordo sobre os valores oferecidos.

No dia 28, o clube decidiu afastar o jogador do plantel principal e colocou-o a treinar com o grupo de transição até que a situação fosse resolvida. O clube gaúcho também recebeu e recusou uma proposta do Athletico no valor de R$ 5 milhões por 50% dos direitos do atacante.

Após a vitória por 3 a 0 sobre o Juventude, no último sábado, o Grêmio divulgou a lista de inscritos na Libertadores sem o nome de Ferreira. O presidente Romildo Bolzan Júnior manifestou-se por parte do clube sobre o impasse.

– Não é dificuldade, são negociações. Dificuldade nas negociações seria o termo mais correto, nós não chegamos a um ponto final. É bom que se diga que a gente antecipou a renovação de contrato porque temos que valorizar o jogador. Queremos que ele fique conosco, queremos segurança para nós e para ele. Não foi possível chegar ainda nesse ajuste. Não havendo isso, o Grêmio resolveu deixá-lo preservado. Isso também resguarda a nós, principalmente – disse Bolzan na ocasião.



Veja também