Foto: BP Filmes

A abertura da janela de transferências para os principais mercados europeus coloca em dúvida a permanência de jogadores importantes no Grêmio. O período de aquisições para clubes de Alemanha, França, Espanha, Itália e Inglaterra se estende até o dia 31 de janeiro. Nos próximos 28 dias, o torcedor ficará apreensivo com a possível chegada de propostas por atletas como Everton, Matheus Henrique e Jean Pyerre, os mais valorizados do atual elenco gremista. 

Apesar de a atual janela não ser aquela em que os europeus aplicam seus maiores investimentos, o Grêmio espera por uma proposta concreta, principalmente por Everton. O atacante tem valor de mercado estipulado em cerca de 35 milhões de euros. Há a necessidade de negociar algum atleta. “Se não negociarmos ninguém, vamos bem igual. Mas seria bom, sim, realizar algum negócio”, admite o presidente Romildo Bolzan Júnior. Não há propostas sedutoras por nenhum jogador, neste momento, na mesa do mandatário. “Nós temos muitas consultas pelo Everton e sabemos que não é a melhor janela para negociá-lo. Não há nenhuma consulta firme que possa indicar uma situação de negócio”, acrescenta.

Se por um lado a questão da austeridade financeira pesa para que o clube negocie um jogador para a Europa, a permanência de todos eles gera o ganho desportivo. Pedro Rocha, Walace e Arthur são exemplos de atletas que primeiro conquistaram ao menos um título de relevância para depois serem negociados com o futebol do exterior. O garoto Tetê, vendido para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, no ano passado, é uma exceção, já que nem chegou a estrear no time profissional. 

Reforços

O Grêmio está muito próximo de anunciar a contratação do lateral-esquerdo Caio Henrique, que jogou o Brasileirão pelo Fluminense. Todas as arestas com o Atlético de Madrid, detentor dos direitos econômicos, foram aparadas, e o jogador de 22 anos deverá ser confirmado como o terceiro reforço gremista até o final de semana. A exemplo do lateral-direito Victor Ferraz e do volante Lucas Silva, já contratados, Caio Henrique é outro que pode chegar com status de titularidade. O contrato com Lucas Silva vai até dezembro de 2023, e não de 2024, como havia sido divulgado quando da sua contratação. 



Veja também