Uma mudança no regulamento pode antecipar o fim do Gauchão. Para se encaixar no calendário nacional, o campeonato estadual pode ser concluído no próximo domingo (9), com a adoção de uma partida única entre os campeões dois turnos, em vez de mais dois jogos, como prevê o atual formato do torneio.

A mudança ganhou força depois de um comunicado emitido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), sinalizando que irá remarcar os jogos da primeira rodada do Brasileirão, agendados para 8 e 9 de agosto, em que clubes estejam envolvidos nas finais dos Estaduais. Neste cenário, enquadram-se os campeonatos Paulista e Baiano. Assim, três partidas seriam adiadas: Botafogo x Bahia, Palmeiras x Vasco e Corinthians x Atlético-GO.

Para que Grêmio ou Inter seja incluído, o desfecho do Gauchão teria de ser modificado.

— A FGF está atenta a essa questão da CBF, e estamos fazendo contatos com os presidentes para estudar essa possibilidade. Essa questão da final única já havia sido objeto de debate entre os 12 clubes e, na oportunidade, ficou em aberto. Entendeu-se que seria melhor conversar entre os dois finalistas, quando definidos — avalia o presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), Luciano Hocsman.

O Gre-Nal desta quarta-feira (5) indicará o adversário do Caxias, que, como campeão do primeiro turno, já está garantido na decisão. Porém, sem datas previstas para realizar os jogos de ida e volta, o torneio estadual teria de aguardar uma brecha nas competições nacionais. A solução seria alterar o regulamento do torneio e, com apenas um duelo, decidir o título de 2020.

— Primeiramente, temos duas finais no regulamento. Claro que o campeonato foi remexido, fizemos de tudo para colaborar com o presidente (Luciano Hocsman) para chegarmos a essa etapa final, mas estamos programados para jogar o primeiro jogo no dia 8 ou 9. Pode até ser viável (final única), mas teríamos de tratar com o outro finalista. Nós temos situações de patrocinadores, que fomos buscar contando com os dois jogos. Já temos um déficit de recursos muito grande. Contávamos com a renda dos jogos. Então, temos de avaliar isso também. Não é uma decisão tão fácil de ser tomada — argumenta o presidente do Caxias, Paulo César Santos.

Como Grêmio e Inter têm vantagem em relação ao Caxias na classificação geral, uma final em jogo único poderia ser realizada em Porto Alegre. No entanto, compromissos comerciais fazem o presidente do time da Serra ter atenção ao mando:

— Estamos abertos para conversas, mas temos de ter equilíbrio. Tem também a questão do mando de campo para ser estudada. Não é específico que seja em Porto Alegre. Pode ser no Estádio Centenário, e nós preferimos jogar na nossa casa.



Veja também